Somos amistosos e curiosos, inteligentes e irreverentes, engraçados e atarefados, brincalhões e trapalhões, optimistas e saudosistas, pensativos e cognitivos, ingénuos e ténuos, divertidos e vividos, sabichões e amigalhões, honestos e lestos, vaidosos e afectuosos, empenhados e assanhados, extravagantes e acutilantes, compreensivos e objectivos, sociáveis e admiráveis, distraídos e agradecidos, orgulhosos e atenciosos, pacatos e sensatos. Mas... o que gostamos mesmo... é do Movimento Novos Rurais!

segunda-feira, 29 de junho de 2015

3 dicas para perder peso e se manter saudável



1 – Coma um bom pequeno almoço. As estatísticas mostram que quem o faz come menos durante o resto do dia.
2 – A meio do dia não coma a correr ou distraído. O seu organismo tem mais dificuldade em perceber a quantidade e qualidade dos alimentos que está a ingerir se a sua cabeça está em outros assuntos.
3 - Não coma muita quantidade nem muito tarde à noite, torna-se mais difícil adormecer e ter um sono reparador com o organismo a digerir a comida ativamente.

Escolha bem os alimentos e não cometa excessos alimentares para ter uma vida longa, saudável e mais feliz.

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Manjericão a Erva Santa


Sabia que o manjericão é chamado de “erva santa” em muitos países pelo mundo fora? 

Além do aroma e sabor maravilhosos está carregada de fitonutrientes essenciais que beneficiam a saúde. Experimente fazer uma salada de tomate maduro com queijo fresco e umas folhas de manjericão ou um “pesto light” com ricota, folhas de manjericão e pinhões torrados. Este verão perfume as suas refeições com nutrientes saudáveis.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Alentejo​ - Numa região onde a liberdade ainda é intocável


Vivemos num tempo comandado pela agitação e submetidos a stresses diários. As pausas são cada vez mais necessárias e é também com esse objectivo que surge a ideia de viver um dia diferente, distante da urbe e do monóxido de carbono, integrado num tempo comandado pela natureza onde o saber antigo se funde com o novo, a tradição com a contemporaneidade, e a sustentabilidade com a inovação.

Novos Rurais 
Uma vida mais saudável, sustentável e feliz! 

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Abacate pode ser o segredo para tratar a leucemia


O segredo para o tratamento da leucemia mielóide aguda (LMA) pode estar nos abacates. Investigadores canadianos descobriram a existência, neste fruto, de um tipo específico de gordura que atua sobre as células estaminais da doença e que, no futuro, poderá aumentar a esperança de vida dos pacientes.
 
A descoberta foi feita por uma equipa da Universidade de Waterloo, no Canadá, que concluiu que este lípido - denominado "avocatina B" - pode ser utilizado para o desenvolvimento de um fármaco que aumente a sobrevivência e a qualidade de vida dos doentes com LMA.

"As células estaminais são as que, de facto, conduzem a doença e são largamente responsáveis pelo seu desenvolvimento e, muitas vezes, pelas reincidências", explica, em comunicado, Paul Spagnuolo, cientista daquela universidade e principal autor do estudo publicado, esta semana, na revista científica Cancer Research. 
 

Natureza + Tecnologia = Novos Rurais


natureza4
Natureza + Tecnologia: porque a soma desses 2 fatores é o estilo de vida do futuro. 

Para muita gente, o lugar ideal fica em uma região rural. Por quê? 
Para comer melhor, viver em um ambiente mais seguro e longe de todo o estresse relacionado ao cotidiano na cidade, em que todos a sua volta vivem uma rotina programada das 9h às 18h e esperam o dia do pagamento para aumentar sua listinha de consumo. Soa familiar?


Imagine acordar às 11 da manhã, esquentar uma água no fogão de pedra e tomar seu café na varanda de um sítio que parece intocado pelo tempo – exceto por um detalhe: a conexão à internet é o que permitiu que você estivesse ali, desfrutando deste momento. Estas não são as férias perfeitas e sim o dia-a-dia de muitas pessoas que levam a vida trabalhando remotamente em áreas rurais.

A vida desses profissionais foi facilitada pela expansão da conexão à internet, que hoje não se restringe aos grandes centros urbanos. Isso permite que muita gente carregue seu trabalho na mochila – ou, mais especificamente, no computador. Com isso, chega a decisão mais difícil: escolher qual lugar você vai chamar de seu. 

Ler mais em: hypeness.com.br  

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Tomate preto pode prevenir diabetes, obesidade e até o cancro

Dark Tomatoes

Darkindigo rose ou simplesmente black, como é chamado lá fora, o facto é que ao novo tomate preto vêm sendo atribuídas propriedades de prevenir alguns tipos de cancro.
Resultado do cruzamento dos tomates vermelho e roxo, o fruto apresenta concentração muito alta de antocianina, um antioxidante que também ajuda a combater o diabetes e a obesidade.
Por este motivo especial, a cepa vegetal foi anunciada como um novo superalimento e sua cultura em estufas vem se transformando numa verdadeira mania nos países do hemisfério Norte.
Criado pelo professor Jim Myers, da Universidade de Oregon, nos EUA, durante o processo de crescimento o tomate é verde, ficando preto em vez de vermelho com a incidência da luz solar.
Na verdade, somente depois de totalmente maduro é que a cor do tomate se transforma do vermelho para o azul-violeta e daí para uma tonalidade bastante escura, quase preta brilhante.
Black Tomatoes
Esta nova versão de espécie vegetal é muito rica em antocianina – um composto encontrado em menor volume em frutas, legumes e bebidas, como o vinho – altamente benéfica para a saúde.
O sabor não é tão doce como os tomates tradicionais, mas delicadamente mais salgado, indicado para o consumo assado ou crú, em saladas. A planta se adapta ao cultivo em hortas caseiras.
Fonte: dailymail.co.uk

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Sabões e cosméticos naturais, ecologicamente correctos e portugueses



Sabões, cosméticos e detergentes integralmente naturais, ecologicamente correctos e amigos do ambiente, sem qualquer adição de produtos sintéticos é o que nos propõem a empresa D'azeite - sabão artesanal



De azeite virgem e virgem extra, enriquecidos com plantas (alfazema, alecrim, camomila, tília, calafito, etc.), mel, geleia real, própolis, leite de cabra, ovelha ou vaca, argila, frutos (laranja, limão, ginjas, uvas, etc.), cereais (farelo de trigo, germe de trigo, aveia) e especiarias (canela, cravinho, erva-doce) -, sabões sólidos e líquidos, produtos de higiene corporal, cosméticos e, ainda, detergentes domésticos constituem o universo da produção artesanal d’azeite, sintetizando o saber alentejano - do que a terra produz e o homem habilidosamente transforma até aos aromas da doçaria, que representarão, por si e em si, as atividades económicas mais relevantes do Alentejo Central: o olival, a vinha e o gado, entre outras.

Todos os produtos d’azeite são Marca Registada e estão registados no CPNP (Cosmetic Products Notification Portal), organismo europeu a quem compete regular a produção e comercialização de artigos de higiene e cosmética, bem como notificar as entidades nacionais competentes de fiscalização e saúde.

A d'azeite - sabão artesanal ostenta o selo Portugal Sou Eu.
Compre Português, compre o que produzimos em Portugal


Morada:Falcoeiras, 7200-052 Montoito Redondo 

domingo, 31 de maio de 2015

O que semear em Junho na Horta e no Jardim

Veja as espécies botânicas e hortícolas que deve semear em Junho

A sua mente já só pensa na praia, nas sardinhadas, nas festas dos santos populares e nos feriados mas, se quer mesmo ter um jardim bonito e florido, tem de arranjar tempo para calçar as luvas e enfiar as mãos na terra. Esta época é indicada para plantar vivazes, maciços à base de áster, rudbequias, heliantus e bolbosas como os gladíolos, begónias e agapantos.

É também uma boa altura para semear gipsófilas, goivos, miosótis e prímulas. Na horta, continua a ser tempo para semear abóboras, acelgas, agriões, alfaces, beldroegas, cenouras, coentros, couve-bróculo, couve-de-bruxelas, couve-nabiça, espinafres, flor de mostarda, rabanetes e salsa.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

QUEIJO DE CABRA DO ALGARVE

Queijo de Cabra do Algarve

A cabra conseguiu adaptar-se aos poucos recursos disponíveis nas serras algarvias. Desde sempre, as gentes serranas utilizam o queijo como forma de conservar o leite deste animal, e como fonte de energia durante todo o ano. Após a ordenha o leite é coado por um pano, fervido e deixado em repouso para arrefecer até aos 40-50ºC. Quando atinge esta temperatura adiciona-se o sal e o cardo. Depois de cortada e esgotada, a coalhada é colocada delicadamente em cinchos onde o queijo fica em repouso. O processo é idêntico para as duas variedades, embora no queijo seco se acrescente um pouco mais de sal.
Saborear e partilhar o que é nosso!
https://www.facebook.com/pequenosprodutoresportugueses

terça-feira, 26 de maio de 2015

Ervas Aromáticas - Canteiro da Luz


Às portas da nova aldeia da Luz com uma paisagem única, e vista para o Grande Lago com o Castelo de Monsaraz e Mourão no horizonte. É neste quadro que a Canteiro da Luz se dedica à produção e comercialização de plantas aromáticas, medicinais e condimentares.

José e Filipe são dois irmãos naturais de Évora com uma relação especial com a Aldeia da Luz, terra onde têm as suas raízes familiares. Em 2012 decidiram lançar-se num projeto na área agrícola: a Canteiro da Luz. A empresa tem como principal missão promover boas práticas ambientais na agricultura, através da produção de plantas aromáticas e medicinais em modo biológico. 

Principais espécies: Lúcia-lima (Aloysia triphylla), Salvia (Salvia officinalis), estragão francês(Artemisia dracunculus), hortelã-pimenta (Mentha x piperita) e segurelha (Satureja).

Localização (coordenadas): aprox. 38.341033,-7.368844

domingo, 24 de maio de 2015

Rota Vicentina - Quem gosta de caminhar???


Rota Vicentina um paraíso para o turismo de natureza.
A Rota Vicentina é uma grande rota pedestre no Sw de Portugal. Formada pelo Caminho Histórico, Trilho dos Pescadores, e vários Percursos Circulares, totaliza 400 km para caminhar, entre a cidade de Santiago do Cacém e o Cabo de S. Vicente, o ponto mais a sudoeste da Europa.
Esta rota resulta de uma criteriosa selecção de caminhos rurais e costeiros, para um usufruto pleno desta área litoral, que se encontra num precioso estado de conservação, no que respeita à paisagem, aos valores naturais e ambientais, à cultura e às tradições.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

DIETAS-RELÂMPAGO? CUIDADO…


mainlowcal1_600x450

Está aberta a época das camisolas de alças…
… E do fato de banho, das saias curtas e dos comportamentos alimentares potencialmente lesivos, que prometem perder muito peso em pouco tempo. Passe ao lado de dietas loucas: enfiar-se dentro de um biquíni não vale arriscar a saúde.
Um estudo da Faculdade de Motricidade Humana publicado este ano conclui que cerca de 40%
dos adultos portugueses (53% de mulheres e 35% dos homens) estão a tentar controlar o peso. E, para quem o tem em excesso, propor-se a perder algum é óptima política. O erro começa apenas quando se quer alcançar o objetivo em tempo recorde. Não há milagres. E um dos melhores pontos de partida é uma certa dose de ceticismo que passa, por exemplo, por desconfiar de uma dieta que promete perder quatro quilos por semana. Antes de embarcar em dietas loucas, tenha em mente algumas ideias claras.
CUIDADO COM O QUE COME
Se não come bem ou não come o suficiente, isso vai refletir-se na sua saúde. Dietas relâmpago (ou de choque, como são também chamadas) podem ter consequências tão sérias como o enfraquecimento do sistema imunitário, o aumento do risco de desidratação, sentir palpitações e mesmo aumentar os níveis de stress cardíaco. O problema é sério e um dos poucos estudos sobre o tema, conduzido pela Food and Drug Administration (FDA), nos Estados Unidos, nos anos 1970, listou quase sessenta mortes entre adeptos de dietas líquidas, tendo associado os efeitos do défice de calorias ao mau funcionamento do coração.
O EFEITO IOIÔ
A grande diminuição de calorias ingeridas e uma restrição extrema de alimentos, em vez de uma reeducação alimentar, não conseguem ser mantidas durante muito tempo e, por norma, estão associadas a um descontrolo alimentar em seguida. Ou seja, são meio caminho andado para recuperar rapidamente o peso perdido após a dieta. Hoje, há vários estudos que defendem também que as dietas por fases (das mais restritivas às de manutenção) também não são a melhor opção. A aposta que deve ser feita por alguém que quer perder peso de forma saudável é a reeducação alimentar e a adoção de uma dieta que possam ser integrada nos hábitos alimentares a longo prazo.
MUDAR SIM, MAS COM APOIO
Reajustes alimentares no sentido de fazer uma alimentação mais saudável, que respeite as indicações da roda dos alimentos, podem e devem ser feitas em qualquer altura e sem especial necessidade de aconselhamento. No entanto, quem precisa de perder muito peso e pretende mudanças muito pronunciadas de reeducação alimentar e aporte calórico diário deve procurar ajuda especializada. Quem tem muito peso a mais não deve perder de vista que a reeducação alimentar deve ser supervisionada por um nutricionista ou dietista, sob pena de, caso contrário, ficar com deficiência de certos nutrientes.
PRUDÊNCIA COM OS PROGRAMAS DETOX
Suplementos e programas detox, desintoxicantes ou purgantes, devem ser alvo de atenções redobradas pelos riscos que podem comportar. Alguns destes programas passam por um consumo excessivo de chás, o que pode ter influência no sistema digestivo e urinário, além de, dependendo das doses de cafeína do chá, poderem causar perturbações do sono. Também o consumo de produtos detox, ainda que de venda livre, deve ser cuidadosamente avaliado. Uma dieta detox justifica-se apenas quando o nosso organismo não está a conseguir eliminar normalmente as toxinas que produz ou ingere. Para isso é necessário, em primeiro lugar, identificar as substâncias que não estão a ser corretamente eliminadas e, depois, fazer eventualmente uma dieta antioxidante ou desintoxicante que promova essa limpeza. Mas, mais uma vez, não sem apoio especializado.
EXERCÍCIO, MAS NÃO EXTREMO
Para quem não faz desporto de forma profissional, o American College of Sports Medicine e a American Heart Association recomendam cerca de trinta minutos diários de atividade física moderada cinco dias por semana ou, em alternativa, vinte minutos de treino mais intenso, três vezes por semana. E, neste caso, mais não é melhor. O descanso também é parte integrante do treino – e uma das mais importantes: o organismo precisa do repouso para que os efeitos do treino se façam sentir. Além disso, o treino em excesso (overtraining) pode provocar no organismo uma resposta de stress com sintomas negativos para o corpo – sendo as lesões musculares e esqueléticas as mais vulgares – e para a mente.
VONTADE DE COMER O MUNDO?
Tente perceber não só que comportamentos alimentares estão na base do seu excesso de peso, mas também o que o está a levar a ter esses comportamentos. A ingestão alimentar compulsiva, ou binge eating, é um padrão frequente que se caracteriza pela ingestão de alimentos como «compensação». O stress costuma estar na origem destes episódios durante os quais a pessoa ingere uma grande quantidade de comida, podendo mesmo ter dificuldade em parar. É um distúrbio mais frequente em mulheres e que costuma ocorrer tendencialmente ao final do dia com autênticos assaltos ao frigorífico e despensa. Pode ser um fator importante tanto para o ganho de peso como para o fracasso na tentativa de o perder.

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Cinco dicas naturais para prevenir a hipertensão


Segundo dados da Fundação Portuguesa de Cardiologia, metade das pessoas com pressão arterial elevada desconhecem o seu estado, apenas um quarto da população está medicado para este problema e apenas 11% mantém os níveis de tensão controlados.


Antioxidantes e ómega 3

A EMAC explica que para prevenir esta doença "silenciosa" é fundamental apostar numa alimentação correta que inclua alimentos ricos em ácidos gordos essenciais e antioxidantes, excluindo o uso excessivo de sal, açúcar, e gorduras alteradas.

Por outro lado, existem suplementos naturais que podem complementar um tratamento à base da dieta. Os óleos de peixe, ricos em ómega 3, são eficazes na redução da pressão arterial, aterosclerose e incidência de AVC, recomendando-se a ingestão de 1g três vezes ao dia.

Também o alho, indicado para pressão arterial e controlo do colesterol, deve ser consumido pelo menos duas vezes ao dia. Pode optar-se pela versão em cápsula. Outros alimentos que ajudam a manter a pressão arterial adequada são o aipo, as nozes e pêras.

Infusões de plantas e terapias 'zen'

Existem outras terapias igualmente importantes para o controlo da hipertensão, que promovem ainda o bem-estar físico e emocional. Sugerem-se infusões de plantas diuréticas, como, barbas de milho ou cavalinha, infusões ou suplementos com plantas hipotensoras como as folhas de oliveira ou flores de espinheiro-branco.

Outros tratamentos importantes seriam terapias para reduzir o stress e pressão emocional como o uso de magnésio, sacrocraneal, reiki ou da hidroterapia para um momento mais relaxante, com variações de água quente e fria, indicado para fortalecer a elasticidade vascular.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Alimentos Calmantes Naturais

Trabalhar com prazos apertados e sob pressão constante pode representar um aumento de stress e ter consequências graves ao nível da saúde mental e física.

No entanto, comer de forma saudável e incluindo certos alimentos na sua dieta diária pode ajudar a contrariar os efeitos dos deadlines curtos e da intensa agenda profissional e social.
abcNews  reuniu informação de especialistas para tentar perceber que tipo de dieta pode ajudar a tornar os dias mais calmos. Tome nota dos melhores alimentos e reveja a sua lista de compras anti-stress:
1. Vegetais com folhas verdes: apesar de ser tentador comer umhambúrguer com batatas fritas ou uma pizza em hora apertada de almoço, uma das melhores opções para um almoço com tempo contado são vegetais de cor verde. De acordo com os especialistas, legumes e frutas verdes ajudam a produzir dopamina, um químico que ajuda à sensação de calma. Existe inclusivamente um estudo feito pela Universidade de Otago em 2013 que relaciona os estudantes que comem mais frutas e legumes a um estado de calma, energia e alegria mais frequentes.
2. Peito de frango: os triptófanos, aminoácidos presentes naproteína do peru, ajudam a produzir serotonina, um químico que regula a fome e induz ao sentimento de bem-estar e felicidade. Outros alimentos com triptófanos são, por exemplo, as nozes, as sementes, lentilhas, aveia, feijões e ovos.
3. Papas de aveia: além das características saciantes, as papas de aveia podem ser substitutos perfeitos - saudáveis e calmantes - de bolos, pastéis e outros doces. Os hidratos de carbono presentes na aveia podem, de acordo com estudos do MIT, ajudar o cérebro a produzirseratonina, uma substância associada também aos antidepressivos.
4. Iogurte: as substâncias probióticas presentes nos iogurtes reduzem a atividade cerebral em áreas associadas a emoções como o stress. Estes alimentos contêm ainda cálcio e proteínas que são sempre opções saudáveis para incluir na dieta.
5. Salmão: os ácidos gordos presentes neste peixe têm propriedades anti-inflamatórias que podem condicionar os efeitos das hormonas de stress, acreditam os especialistas consultados. De acordo com um estudo efetuado em estudantes de Medicina norte-americanos, os que tomaram suplementos de Ómega-3 reduziram em 20% a sua ansiedade.
6. Mirtilos: alimentos com antioxidantes e fitonutrientes como os frutos de baga ajudam a lutar a favor das defesas do organismo e aumentar a resposta do corpo ao stress. Estudos relacionados com o consumo de mirtilos indicam que aumentam a força de glóbulos brancos, peças fundamentais na imunidade.
7. Chocolate negro: não estamos a falar de uma tablete inteira de chocolate mas está provado que o consumo moderado de chocolate negro pode ajudar a reduzir os níveis de stress. Os anti-oxidantes presentes no cacau ajudam a nivelar a pressão arterial e a melhorar a circulação sanguínea. Dê sempre preferência ao chocolate com mais de 70% de cacau.
8. Abacate: pode comer fatia atrás de fatia deste fruto para diminuir a ansiedade e sem se preocupar com o facto de poder engordar. Estesuperalimento vai ajudá-lo a sentir-se saciado e satisfeito. Estudos recentes indicam que as pessoas que incluem abacate na refeição do almoço reduzem em 40% o desejo de comerem mais nas três horas seguintes à refeição. 
Por Mariana de Araújo Barbosa

segunda-feira, 11 de maio de 2015

«Aldeia do Futuro» procura jovens agricultores


A primeira «Aldeia do Futuro» nasceu em Baião, no Porto. É um espaço dedicado a quem pretende empreender no setor da agricultura. O projeto oferece formação aos jovens, apoio na procura ativa de terrenos e na criação do negócio.
Nasceu no norte do país, em Baião, a primeira «Aldeia do Futuro». O projeto pretende «valorizar o que Portugal tem de melhor» e impedir a fuga de talentos através da agricultura. Na prática, a ideia está em recuperar aldeias nacionais para que sirvam de incubadoras de projetos ligados à terra.
«É dirigido a jovens que querem abraçar novos desafios, um projeto de futuro e com futuro e que não querem ser 'obrigados' a deixar o seu país ou a abraçar profissões que não os realizem», explica António de Souza-Cardoso, presidente da AGAVI - Associação para a promoção da gastronomia e vinhos, promotora do projeto, ao Canal Superior.
Para consolidar esta «nova vaga de agricultores», o projeto «Aldeia do Futuro» vai disponibilizar formação aos jovens agricultores e oferecer apoio tanto na procura ativa de terrenos como na «criação de negócio, logística, distribuição, embalagem, marketing e comunicação».
A iniciativa arrancou, na semana passada, em versão piloto, no município de Baião, no Porto. «Quisemos iniciar na região Norte dado o estímulo grande que recebemos da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, da Universidade do Porto e do Instituto Politécnico, para além das grandes associações empresariais com sede no Norte», afirma António de Souza-Cardoso.
Nesta primeira fase, o projeto tem 500 mil euros para recuperar a primeira aldeia que vai albergar novos empreendedores, bem como casos de sucesso que possam «ajudar e inspirar os novos agricultores». Estão ainda a ser preparadas candidaturas a fundos comunitários para a criação de um centro de investigação, formação e germinação de novos negócios e de um centro de design, valorização e distribuição de produtos.
Entre os parceiros da iniciativa estão a Universidade Católica Portuguesa, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, a ANJE, a AEP, a Câmara Municipal de Baião, o Turismo do Porto e Norte, entre outros.

domingo, 10 de maio de 2015

Hortas Urbanas - Novos Rurais



Produtos frescos à porta de casa é o que todos desejaríamos, para uma alimentação diária minimamente equilibrada. Só que isso é cada vez mais difícil. Apesar de tudo há soluções que agora começam a ganhar adeptos, umas mais radicais e futuristas, como a agricultura vertical, outras mais próximas da nossa realidade, como as hortas urbanas.

Imaginem-se canteiros repletos de pés de cenoura, alface e beterraba na acinzentada paisagem da metrópole. Parece um cenário edílico mas as hortas urbanas são uma realidade e um fenómeno em crescimento, inspirando a população citadina a boas práticas ambientais, para além de requalificarem os espaços urbanos.

sábado, 9 de maio de 2015

PERDER PESO DE FORMA SAUDÁVEL


Precisa de perder alguns quilos depois dos excessos dos últimos meses? Aprenda a emagrecer sem voltar a engordar 

Alimentos aconselhados
- Leite magro 
- Iogurtes naturais sem açúcar 

- Queijo fresco com 0% de gordura 

- Legumes frescos ou congelados
- Peixe: pescada, dourada, robalo, salmão, linguado, bacalhau, etc
- Café e chá sem açúcar
- Certas frutas como melancia, melão, pêra, maçã, laranja, tangerina e kiwi
- Sopa de legumes com pouca batata e cenoura: de espinafres, agriões, nabiças, alho francês, feijão verde, rúcula, tomate, couve lombarda, etc.

Alimentos permitidos
 

- Carne magra: vaca, frango, peru, avestruz
- Conserva natural, patê (atum ou sardinha)
- Charcutaria (sem gordura, muito esporadicamente): presunto, paio, fiambre, salsicha fresca, morcela de sangue
- Queijos com menos de 25% de gordura
- Iogurtes magros
- 2 ovos por semana, se possível evitando a gema
- 1 pão por dia, de preferência integral ou de mistura
- Batatas, massa ou arroz como acompanhamento, mas apenas numa das refeições do dia. De preferência integrais.
- Adoçante: até 10 pastilhas por dia
- Condimentos: azeite, vinagre, caril, gengibre, pimenta, alho, salsa, coentros, ervas aromáticas, azeitonas (até 3 por dia), óleo de girassol ou creme vegetal para cozinhar.
- Vinho tinto maduro seco (um copo esporadicamente), champanhe (em dias de festa).

Alimentos desanconselhados
- Leite gordo
- Produtos lácteos gordos e açucarados (iogurtes gordos, leite)
- Queijos gordos
- Carne gorda: pato, ganso, cabrito, ovelha, etc
- Enchidos, alheiras, farinheiras
- Fritos com farinha, pão ralado, massa de pastel ou de rissol, massa folhada
- Conservas embebidas em gordura
- Fígado, patê de fígado
- Ostras, lagostins, caranguejo, delícias do mar
- Frutos secos e enlatados
- Álcool: vinhos doces (vinho do Porto, da Madeira ou Martini), vinhos rosé, vinho verde, cerveja (mesmo sem álcool), whisky, licores, etc
- Refrigerantes (mesmo os light)
- Doces (bolachas, gelados, chocolates, pastéis, etc.)

Mapa dos cultivos de milho transgénico em Portugal



A par de Espanha e da República Checa, Portugal é dos poucos países da União Europeia onde ainda se cultivam transgénicos.

A Plataforma Transgénicos Fora colocou online o mapa nacional da distribuição de campos onde se cultiva milho geneticamente modificado. Foram precisas cinco ações em tribunal para o Ministério da Agricultura disponibilizar a informação. 

Dez anos depois do início de cultivo de milho transgénico, só agora é que os portugueses podem saber por onde se espalham as 277 explorações de milho-Bt (OGM). Eram apenas 38 em 2005, mas proliferaram e ocupam na atualidade já 8542 hectares. 
A informação está disponível, a partir desta quinta-feira, no site da Plataforma Transgénicos Fora, que junta várias organizações não-governamentais ligadas ao Ambiente. O objetivo dos ambientalistas é que "o público português ganhe consciência dos vizinhos que não sabia que tinha à porta e pressione o Governo no sentido da proibição total do cultivo deste milho transgénico e da aposta numa produção alimentar mais sustentável, de melhor qualidade", afirma Margarida Silva, porta-voz da Plataforma 
O mapa pode ser consultado aqui. Num primeiro olhar, percebe-se que a maioria das plantações estão localizadas no Alentejo e no Ribatejo e que as maiores ocupam vastas áreas nos concelhos de Odemira e Santiago do Cacém. Só neste concelho do litoral alentejano há uma propriedade de 256 hectares (equivalente a 256 campos de futebol), que contém mais área do que a somada em seis plantações de três concelhos localizados na beira interior. 
No litoral centro e norte também há plantações OGM e no Algarve só uma propriedade de 7,5 hectares, em Albufeira, se dedica a este cultivo.
Agricultura tentou ocultar informação Para poder tornar pública esta informação, recolhida anualmente pelo Ministério da Agricultura, "foram precisas cinco ações em tribunal para obter os dados completos de 2005 até 2014", esclarece a Plataforma no comunicado enviado às redações. 
A legislação europeia e nacional, que só permite a plantação de milho-Bt na União Europeia, prevê a divulgação de informação sobre a localização e quais as áreas das explorações agrícolas com culturas transgénicas. Porém, após a decisão do tribunal foram ainda necessárias "intimações judiciais adicionais" para o ministério tutelado por Assunção Cristas ceder os dados, indica a Plataforma. O argumento utilizado para evitar cedê-los consistia no receio de "actos de vandalismo". 
"Estes dados são fundamentais para a deteção precoce de eventuais problemas", alerta a Plataforma. "No caso da saúde, não pode excluir-se a possibilidade, por exemplo, de alergias ao pólen transgénico para quem viva em zonas circundantes", sublinha Margarida Silva. A informação ao também é útil para os agricultores biológicos que não queiram ver as suas culturas contaminadas por OGM plantados na propriedade do vizinho e transportados pelos ventos. 
Além de estudos científicos recentes alertarem para "impactos locais diferenciados" associados a diferentes comportamentos destes OGM, os ambientalistas chamam a atenção para os "possíveis  impactos negativos em espécies não alvo do ecossistema agrícola". 
A par de Espanha e da República Checa, Portugal é dos poucos países da União Europeia onde ainda se cultivam transgénicos. E segundo a Plataforma Transgénicos Fora, o Ministério da Agricultura "continua a votar sistematicamente a favor dos pedidos de introdução de novos transgénicos", como  variedades de algodão e colza, "ao arrepio da maioria dos Estados-membros e apesar do risco direto que isso acarreta para a nossa biodiversidade selvagem e agrícola". 
Por cá, apenas as regiões autónomas da Madeira e Açores são de facto livres de transgénicos, por imposição legal. No continente, 27 concelhos (entre os quais Alenquer, Alcochete, Aljezur, Póvoa de Lanhoso, Terras de Bouro, Arouca, Cadaval, Coimbra, Moita, Lagos ou Odemira) também se declararam livres de transgénicos. 
Porém, "não passam de declarações políticas", critica Margarida Silva, já que "essas declarações não têm força de lei, uma vez que a portaria é kafkiana". Ou seja, se houver alguém interessado em cultivar OGM, pode fazê-lo. 
Fonte: CARLA TOMÁS / Espresso 

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Dieta mediterrânica pode prevenir perda de memória


A dieta mediterrânica é capaz de prevenir a perda de memória e o declínio das capacidades cognitivas, protegendo a integridade do cérebro, conclui um grupo de cientistas canadianos.
Os investigadores da Universidade de McMaster, no Canadá, estudaram 27.860 voluntários de 40 países durante cerca de cinco anos, todos eles com 55 anos ou mais e com historial de diabetes, doença cardiovascular, acidente vascular cerebral, entre outros problemas de saúde, informa o Daily Mail. 
A equipa avaliou a capacidade de raciocínio e a memória dos voluntários no início do estudo, dois anos após o arranque e uma última vez, cinco anos depois. Além disso, os participantes forneceram dados acerca da dieta que seguiam, do tipo de alimentos que ingeriam (incluindo fruta, vegetais, cereais integrais, carne, peixe e ovos) e de hábitos como o consumo de álcool.
No decurso do estudo, um total de 4.699 pessoas desenvolveram problemas de memória, tendo os investigadores observado que aqueles que seguiam dietas mais saudáveis, como a dieta mediterrânica, tinham uma probabilidade 24% inferior de vir a sofrer de declínio cognitivo.
Estes resultados mantiveram-se mesmo quando foram tidos em conta outros factores como a quantidade de actividade física praticada, a hipertensão arterial ou um historial de cancro.
“A adopção de uma dieta saudável começa, possivelmente, logo no início da vida, e uma dieta saudável coincide, muitas vezes, com a adopção de comportamentos e hábitos saudáveis”, explica Andrew Smyth, investigador da Universidade de McMaster e principal autor do estudo.
A dieta mediterrânica é, segundo a equipa, um exemplo ideal de uma dieta boa para a saúde, constituindo-se como um regime alimentar rico em vegetais e fruta, frutos secos, sementes, azeite e peixe, podendo o consumo moderado de vinho ser, também, um benefício. 

quinta-feira, 7 de maio de 2015

3 dicas para perder peso e se manter saudável


Precisa de perder alguns quilos depois dos excessos dos últimos meses? Aprenda a emagrecer de uma forma saudável.

1 – Coma um bom pequeno almoço. As estatísticas mostram que quem o faz come menos durante o resto do dia.

2 – A meio do dia não coma a correr ou distraído. O seu organismo tem mais dificuldade em perceber a quantidade e qualidade dos alimentos que está a ingerir se a sua cabeça está em outros assuntos.

3 - Não coma muita quantidade nem muito tarde à noite, torna-se mais difícil adormecer e ter um sono reparador com o organismo a digerir a comida ativamente.

Viva mais saudável, e partilhe!

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Ervas aromáticas e as suas aplicações


Utilize as ervas aromáticas sempre que puder nas suas receitas.

Para além de darem mais sabor aos seus pratos, permitem-lhe prescindir do sal ou, pelo menos, reduzir a sua quantidade, o que é benéfico para a saúde. E não contêm calorias.

Do cravinho à pimenta, saiba em que pratos pode aplicar estas especiarias que enriquecem os seus cozinhados.
CravinhoIdeal para cozinhados que contenham cebola. Também fica bem em doces, como a tarte de maçã.
CominhosPara todo o tipo de estufados de leguminosas e couves ou sopas. E podem ser adicionados aos queijos.
Noz-moscadaDeve ser usada em quantidades muito pequenas. Perfeita no molho bechamel e em doçaria.
GengibrePara receitas orientais ou para dar um toque exótico às saladas ou aos pratos de massa.
Pimenta de caienaCom muita moderação, para dar um sabor picante a estufados e massas.

terça-feira, 5 de maio de 2015

Aprenda a emagrecer sem voltar a engordar


Precisa de perder alguns quilos depois dos excessos dos últimos meses? 

Os três passos para emagrecer de forma saudável se resumem a conselhos bem práticos para perder peso e ganhar saúde.
  1. Esteja determinado - Perder peso sob pressão externa não resulta muito bem. É importante que a decisão seja pessoal, mas conte com a ajuda e apoio dos amigos e familiares.
  2. Faça da alteração de estilo de vida uma prioridade - Mudar hábitos requer esforço disponibilidade e tempo.
  3. Trace um plano - As metas devem ser realistas e graduais. Objetivos muito altos podem não ser atingidos e, assim, gerar insegurança e frustração.
A vontade de emagrecer pode conduzir a comportamentos inadequados ou exagerados, mas lembre-se que as dietas rápidas são desequilibradas e podem causar deficiências nutricionais, fazer jejum ou pular refeições leva mais facilmente a cometer excessos e é importante saber que alimentos sem gordura não são alimentos sem calorias, por isso, leia atentamente os rótulos dos alimentos.
A mudança de comportamento e de hábitos alimentares são condições essenciais e devem ser decisões realistas que conduzam a resultados eficazes.

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Ser ou não ser vegetariano?


Embora a expressão vegetarianismo seja relativamente recente, a rejeição de alguns ou todos os alimentos animais não é um fenómeno contemporâneo. Ao longo da história da Humanidade, vários grupos populacionais optaram por não comer carne, frequentemente em contextos de ideologias específicas, em particular por razões religiosas, o que se mantém actualmente.

As razões apontadas para se ser vegetariano incluem questões éticas e ecológicas, preocupações com a saúde, preferências sensoriais, razões filosóficas, económicas, influências familiares ou receios relacionados com a segurança alimentar. Desta forma, o padrão alimentar adoptado por cada vegetariano é influenciado pelos motivos pessoais inerentes à escolha de cada indivíduo, identificando-se assim uma variedade de gradientes de exclusão de produtos animais da alimentação.

Os padrões alimentares dos vegetarianos podem variar consideravelmente. Vão desde a exclusão de todos os alimentos de origem animal (padrão vegan), à inclusão de alguns destes alimentos, nomeadamente os produtos lácteos (padrão lacto-vegetariano) ou ainda os ovos (padrão ovo-lacto-vegetariano).

Para algumas pessoas, ser vegetariano pode associar-se a outras especificidades do padrão alimentar incluindo, por exemplo, a restrição de bebidas alcoólicas ou com cafeína ou produtos alimentares processados, por exemplo. Para além destas restrições alimentares, outras características relacionadas com o estilo de vida parecem associar-se ao vegetarianismo como, por exemplo, não fumar, praticar exercício físico regularmente, evitar usar medicamentos, rejeitar produtos testados em animais ou optar por terapias alternativas à medicina moderna. Este estilo de vida, frequentemente mais saudável, dificulta por vezes a identificação de eventuais diferenças no padrão de doenças entre vegetarianos e não vegetarianos, devidas especificamente ao estilo alimentar.

Não obstante, os padrões alimentares vegetarianos parecem oferecer vantagens para a saúde por tenderem a incluir pequenas quantidades de gordura saturada, colesterol, proteína animal e elevados teores de fibra, magnésio, folato, vitaminas C e E, carotenóides e fitoquímicos. Alguns vegans podem apresentar contudo, ingestão inferior à recomendada de vitamina B12, vitamina D, cálcio, ferro, zinco, iodo e, eventualmente riboflavina.

A alimentação vegetariana tem sido associada a uma redução de alguns factores de risco para doença cardiovascular, como perfil lipídico mais favorável, índice de massa corporal mais baixo e pressão arterial inferior. No entanto, alguns estudos sugerem que alguns vegetarianos (sobretudo os vegans) podem apresentar níveis plasmáticos aumentados de homocisteína, um factor de risco emergente para doença cardiovascular, provavelmente associado à menor ingestão de vitamina B12.

Uma ingestão elevada de alimentos vegetais tem sido relacionado com uma redução do risco de determinados cancros, embora não haja diferenças significativas na incidência de cancro e mortalidade, entre vegetarianos e não vegetarianos. Vários estudos apontam para um aumento de risco de cancro colo-rectal nos indivíduos com elevada ingestão de carne e baixa ingestão de fibra, não havendo contudo evidência consistente que mostre que o vegetarianismo, por si só, proteja contra o cancro colo-rectal.

Não devemos esquecer que, independentemente do grau de exclusão de alimentos animais da alimentação, os planos alimentares vegetarianos, para serem nutricionalmente adequados e saudáveis, devem ser devidamente estruturados.