Somos amistosos e curiosos, inteligentes e irreverentes, engraçados e atarefados, brincalhões e trapalhões, optimistas e saudosistas, pensativos e cognitivos, ingénuos e ténuos, divertidos e vividos, sabichões e amigalhões, honestos e lestos, vaidosos e afectuosos, empenhados e assanhados, extravagantes e acutilantes, compreensivos e objectivos, sociáveis e admiráveis, distraídos e agradecidos, orgulhosos e atenciosos, pacatos e sensatos. Mas... o que gostamos mesmo... é do Movimento Novos Rurais!

terça-feira, 15 de Julho de 2014

Enoturismo - O Monte Seis Reis



Monte Seis Reis possui uma área de vinha que se estende ao longo de 50 hectares, onde são produzidas as principais castas da herdade: Aragonez, Alicante Bouschet, Cabernet Sauvignon, Castelão, Syrah, Trincadeira Preta, Touriga Nacional Arinto, Antão Vaz, Viognier e Alvarinho. Mais recentemente foram introduzidas as castas Petit Verdot e Tannat.

A adega faz parte da Rota dos Vinhos do Alentejo e o complexo de enoturismo possui várias salas, nomeadamente a sala-museu Seis Reis com a história dos seis monarcas e a da região de Estremoz, a sala de Arte com exposição permanente sobre vinho e exposições temporárias relacionadas com o tema e sala de Tertúlia onde são servidas refeições a grupos. Possui ainda uma loja onde é possivel adquirir o vinho do Monte Seis Reis e alguns produtos regionais alentejanos.

Venha conhecer o Monte Seis Reis e tenha uma experiência gourmet inesquecível!

Inclui:
Visita guiada à Adega com prova de 3 vinhos Monte Seis Reis e produtos regionais.

Horário de Funcionamento: Das 10:00 às 18:00
Marcas: Arte Real, Boa Memória, Bolonhês, Syrah, Tannat Petit Verdot e Reserva.
Produtos comercializados: Vinhos e produtos regionais alentejanos (queijos, enchidos, azeite, mel, entre outros)


Monte Seis Reis
Herdade dos Casarões, Santa Maria
7100-078 Estremoz
Telefone: 268322221
Mail: geral@seisreis.pt
Site: www.seisreis.pt

quarta-feira, 9 de Julho de 2014

Nova PAC retira "teia burocrática" aos agricultores


A nova Política Agrícola Comum (PAC) vai "simplificar" os apoios aos pequenos agricultores e retirar a "teia burocrática" que estes enfrentavam, destacou hoje o secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Francisco Gomes da Silva.

"Houve um grande esforço de simplificação de tudo o que está ligado aos pequenos agricultores, no âmbito do 1.º pilar da PAC, que tem a ver com as ajudas diretas e que entra em vigor a partir de 01 de janeiro de 2015", disse.

Segundo o governante, o objetivo é "retirar de cima dos pequenos agricultores a teia burocrática grande" que enfrentavam e "simplificar todos os pagamentos e apoios", entre outras vertentes.
"E dá-se também fôlego às iniciativas LEADER, que têm caráter local, acabando por estar relacionadas com as explorações agrícolas", acrescentou.

O secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural falava à agência Lusa em Évora, depois de participar no seminário "Agricultura Familiar e Sustentabilidade dos Territórios Rurais", na universidade local.

Alertando tratar-se de um conceito vasto, Francisco Gomes da Silva afirmou que "a agricultura familiar não se esgota na pequena agricultura", pois, abrange, igualmente, "grandes explorações".

"Hoje em dia, quase toda a agricultura portuguesa é agricultura familiar", embora o país tenha uma grande diversidade de explorações agrícolas, e a nova PAC pretende simplificar" a vida de "todos os agricultores", sublinhou.

"Houve uma preocupação grande, não só dentro da PAC, mas também no Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020, para adequar os instrumentos e subir os níveis de apoio", por forma a mostrar que "a agricultura é importante para o país e que não podemos descuidá-la", disse.
O seminário em Évora inseriu-se nas comemorações do Ano Internacional da Agricultura Familiar (AIAF), decretado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO).
Segundo a FAO, a agricultura familiar inclui todas as atividades agrícolas de base familiar (operadas por uma família e predominantemente dependente de mão-de-obra familiar) e está ligada a diversas áreas do desenvolvimento rural.

O secretário de Estado afirmou que um dos grandes desafios deste ano internacional passa por "ficar a conhecer melhor" o que é a agricultura familiar em Portugal, para melhor direcionar os instrumentos de política pública para o setor.

O seminário na cidade alentejana foi da responsabilidade da Associação Portuguesa de Economia Agrária, Sociedade Portuguesa de Estudos Rurais, Associação Portuguesa de Desenvolvimento Regional, Direção Regional da Agricultura e Pescas do Alentejo, Federação Minha Terra e da Animar.

Fonte:Lusa 

segunda-feira, 7 de Julho de 2014

Frutas e vegetais ajuda a reduzir o risco de AVC


Aumentar o consumo de fruta e vegetais pode ajudar a reduzir o risco de acidente vascular cerebral (AVC) em até um terço. A conclusão resulta de uma análise feita por um grupo de investigadores chineses que trabalharam na revisão de uma série de estudos sobre esta temática e obtiveram evidências que reforçam a importância de um regime alimentar rico em verduras.

Aceda ao estudo em http://bit.ly/1lxgWs2


Movimento Novos Rurais
Pessoas mais livres, plenas e felizes!

domingo, 6 de Julho de 2014

Farmácia natural - Dê mais cor ao seu prato!


Além de tornar a refeição mais atraente, brincar com as cores das frutas, verduras e dos legumes no seu prato é uma forma de preservar a saúde. Para entender o que há por trás dessa afirmação, basta pensar um pouquinho na ação dos fitoquímicos, justamente as substâncias responsáveis por pigmentar os alimentos. Na natureza, são elas que defendem os vegetais das ameaças externas. “Os fitoquímicos presentes nos alimentos são os responsáveis por protegê-los contra o ataque de fungos e bactérias. Uma vez no organismo humano, assumem ações específicas no metabolismo, com amplos benefícios à saúde”, explica a nutricionista funcional Roseli Rossi, da Clínica Equilíbrio Nutricional.

Em suma, dentro da gente eles continuam funcionando como fiéis guarda-costas, minimizando muito o risco de doenças. “Os pigmentos naturais estão relacionados com importantes atividades biológicas. Eles possuem propriedades antioxidantes, antiinflamatórias e fortalecem o sistema imunológico, afastando o risco de sofrer de doenças crônicas não transmissíveis, como o colesterol e o diabetes”, diz a nutricionista Jocelem Mastrodi Salgado, professora na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ -USP) e autora do livro Guia dos Funcionais (Ed. Ediouro). “Os fitoquímicos também são reconhecidos por atuarem de forma mais específica como calmantes, digestivos, moduladores hormonais, laxantes e até expectorantes”, complementa a nutricionista Roseli.

Daí a importância de que diversas cores sejam misturadas num mesmo prato. Assim, os alimentos verde-escuros contêm altos níveis de magnésio, mineral presente na clorofila e que é essencial para a saúde do coração e a manutenção da pressão em níveis estáveis. “Já o licopeno do tomate diminui a oxidação das moléculas de DNA que contribuem para a proliferação das células cancerosas”, garante a nutricionista Fernanda Vaz, da Clínica Patricia Davidson (RJ).

Mesmo os alimentos com pouca cor são recheados de nutrientes. “Os alimentos de coloração branca, por exemplo, têm efeito anti-inflamatório e antialérgico, bloqueando a histamina, uma substância que provoca as famosas coceiras e os espirros. Eles também ajudam a prevenir doenças cardiovasculares e a reduzir o colesterol ruim. Estamos falando de vegetais como os cogumelos”, diz Jocelem.

E se você quer tirar proveito dessa farmácia natural no seu dia a dia, o primeiro passo é conhecer as propriedades dos principais grupos de alimentos, a partir da classificação por cor.


Fonte: Revista Viva Saúde

sexta-feira, 4 de Julho de 2014

Atravessar o rio Douro a nado e subir monte a cima por entre socalcos e vinhas

Image de Atravessar o rio a nado e subir monte a cima no Alto Douro Vinhateiro

Atravessar o rio Douro a nado e subir monte a cima por entre socalcos e vinhas até ao topo da Quinta das Carvalhas da Real 
Companhia Velha. O La Rosa/Carvalhas Hill Challenge é o desafio da Quinta de La Rosa para o próximo dia 12 de Julho.

Quinta de La Rosa, situada no Pinhão, no coração do Alto Douro Vinhateiro, promove esta interessante prova de resistência desde 1927 – ano do primeiro registo conhecido.
O La Rosa/Carvalhas Hill Challenge começa na Quinta de La Rosa – que os enófilos conhecerão seus vinhos premiados –, uma propriedade que pertence à família Bergqvist desde 1906, e “consiste numa etapa de travessia do Douro a nado com 200 metros, seguido de um up hill de 4 Km por entre socalcos e vinhas até ao topo da Quinta das Carvalhas da Real 
Companhia Velha”, explica a organização em comunicado.
Este ano, a organização do desafio quase centenário é partilhada pelas 2 casas e Jorge 
Moreira, enólogo da Quinta de La Rosa e da Quinta das Carvalhas é o “mastermind da edição 2014 da prova”.
Se não se está ver a dar uma de duro na montanha, saiba que para os menos resistentes a organização preparou uma Caminhada Familiar, em que “a travessia é feita pelo cais do Pinhão e pela ponte sobre o Douro, e a subida à Quinta das Carvalhas é feita pela estrada principal, nuns ‘suaves’ 7,5 Km”. Ao longo do percursos, haverá sempre o apoio de um autocarro panorâmico.
E não é só dar à sola. O “trajecto será orientado pelo técnico de viticultura da Quinta das Carvalhas, Álvaro Martinho, para assim enriquecer a experiência dos participantes desvendando os segredos da fauna, flora e história da Quinta”, sublinha a organização na mesma nota de imprensa.
A inscrição para o La Rosa/Carvalhas Hill Challenge, que tem um limite de 100 participantes, deve ser feita até 6 de Julho e tem um custo de 15 euros – valor que inclui dorsal, seguro de acidentes pessoais, t-shirt e suporte logístico. Quem preferir a Caminhada Familiar, poderá inscrever-se até ao próprio dia, sendo que a inscrição tem um valor simbólico de 3 euros (inclui seguro de acidentes pessoais e suporte logístico) e não há número limite de participantes.
Quem vencer o grande desafio será premiado com “um Bed & Breakfast com jantar no turismo rural da Quinta de La Rosa”. Já o segundo lugar será “agraciado com um almoço no Vintage Boat Pipa Douro” e o terceiro levará para casa 2 garrafas de vinho, “um La Rosa Reserva 2011 e um Carvalhas Branco 2011″.
No final das 2 provas, quem quiser poderá ficar para o almoço-convívio que terá lugar na Casa Redonda, no topo da Quinta das Carvalhas – a inscrição para a refeição custa 15 euros para maiores de 12 anos, os petizes não pagam.
Fonte:Porto24

quinta-feira, 3 de Julho de 2014

Tomatada à Alentejana


Esta sopa era muito usada no Alentejo, no meio rural, quando havia muito tomate, pão e ovos, tudo saido directamente da horta.

Ingredientes
4 ou 5 tomates maduros
3 dentes de alho 
1 cebola
louro
toucinho entremeado
sal
1 dl de azeite
2 ovos

Faz-se um refogado com o alho picado a cebola às rodelas o louro, sal, azeite e o toucinho cortados aos bocados. Quando o toucinho já estiver quase frito juntam-se os tomates cortados pelados e cortados aos bocados. Deixa-se cozer o tomate e apurar de modo que fique com pouco caldo. Por fim juntam-se 2 ovos batidos que se envolvem na tomatada. Está pronto a servir

Facultativo: Se quiser pode-se juntar também rodelas de chouriço ao refogado.

Movimento Novos Rurais
Pessoas mais livres, plenas e felizes!https://www.facebook.com/novosrurais.farmingculture

terça-feira, 1 de Julho de 2014

SOPA DE BRÓCULOS E LIMÃO


Receita com produtos da horta

Ingredientes (4 pessoas):
1 embalagem de Bacon Vegetariano ou 2 Salsichas Vegetarianas (cortadas aos cubos)
Azeite extra virgem
1 alho francês, cortado
2 dentes de alho esmagados
1 bróculos, picado
1 litro de caldo de legumes
100g de folhas de espinafre
250ml de nata vegetal
15ml sumo de limão
Sal marinho e pimenta a gosto

Numa panela coloque o azeite, alho francês, alho e cozinhe, mexendo sempre, até o alho francês ficar macio, cerca de 5 minutos. Adicione o brócolos e cozinhe até estarem macios, cerca de 8 - 10 minutos.
Adicione os espinafres e cozinhe mais 1-2 minutos. Misture com uma varinha mágica até ficar homogéneo. Junte a nata vegetal, sumo de limão e tempere.
Salteie o Bacon Vegetariano ou a Salsicha Vegetariana em azeite extra virgem, até ficar crocante.

segunda-feira, 30 de Junho de 2014

Jovens agricultores investem na agricultura biológica


José Rui Lopes e Filipe Lopes são irmãos e dois jovens agricultores alentejanos que decidiram valorizar os terrenos de família lançado-se na produção de ervas aromáticas e medicinais, biológicas, tendo em vista principalmente a exportação.
Este projeto é apoiado pelo PRODER e embora tenha como principal foco a exportação engloba ainda a criação de uma marca própria denominada “canteiro da luz”.
Os dois jovens estão já a exportar com especial foco no mercado francês, mas pretendem também dinamizar a “canteiro da luz” através de vendas online e em canais de distribuição que serão anunciados brevemente segundo José Rui Lopes.

quarta-feira, 25 de Junho de 2014

Prove - Vila Nova de Milfontes



De 27 de junho a 6 de julho, Vila Nova de Milfontes acolhe o “Prove - Sabores e Histórias de Comer e Chorar por Mais”, organizado pela APTECE (Associação Portuguesa de Turismo de Culinária e Economia).

Amêijoas à Bulhão Pato, Peixe Fresco Grelhado, Arroz de Marisco ou os tradicionais doces conventuais alentejanos, acompanhados pelos vinhos da região, são algumas das sugestões em destaque durante os 10 dias do “Prove Vila Nova de Milfontes”. Os 11 restaurantes aderentes – Tasca do Celso, O Botequinho do Xico, Oásis, A Fateixa, O Pescador "O Moura", Porto das Barcas, Pátio Alentejano, Casa dos Bifes, Portal da Vila, Paparoca e Quebramar – disponibilizam uma ementa composta por entrada, prato principal e sobremesa, apresentando o melhor peixe fresco e marisco tradicionais que a região oferece.

quarta-feira, 18 de Junho de 2014

Terrina de beterraba e cenoura da horta



Continuamos a apostar numa alimentação cheia de vitaminas e antioxidantes. Esta terrina de beterraba e cenoura é tão bonita, fresca e cheia de nutrientes como fácil de fazer.

Coza em panelas separadas algumas beterrabas e cenouras de maneira a que se mantenham firmes. À parte bata queijo ricota, sal e pimenta moída até obter um creme uniforme.

Monte a sua terrina numa forma, alternando camadas de beterraba, sumo de limão e o creme de ricota. Faça o mesmo com as cenouras e deixe descansar no frio umas horas. Sirva temperando com ervas frescas e acompanhe com peito de frango grelhado e uma salada de folhas verdes.

Experimente, é mesmo bom
https://www.facebook.com/novosrurais.farmingculture

domingo, 15 de Junho de 2014

Sopa de Lentilhas


Sabia que uma chávena de lentilhas cozidas contém 63% das suas necessidades diárias de fibras e 38% das de proteínas? 

Um alimento fabuloso. Experimente esta sopa, tem um sabor delicioso, é leve e muito nutritiva. Deixe 150 gr de lentilhas de molho de um dia para o outro. Coloque numa panela as lentilhas, 3 tomates, 1 cebola, 1 cenoura e a parte branca de 1 alho francês. Cubra com água e deixe cozer por 10 a 15 min. Com a ajuda de um robô de cozinha reduza os legumes a puré, tempere com um fio de azeite, sal e pimenta a gosto. Deixe de fora algumas lentilhas ou uns cubinhos de tomate, pique um raminho de salsa e decore, fica uma delícia. Experimente!

Novos Rurais - Farming Culture
Pessoas mais livres, plenas e felizes
https://www.facebook.com/novosrurais.farmingculture

sexta-feira, 13 de Junho de 2014

Somos o que comemos


Sabia que a comida e as bebidas com que se alimenta influenciam o seu humor e a sua resistência física e psicológica? 

Comer com as estações do ano é importante quando se trata de equilibrar a energia do seu corpo e humor. Existe uma razão pela qual ansiamos por alimentos saudáveis e quentes no inverno e alimentos frescos e leves no verão. Os nossos corpos são parte da natureza, e evoluem com as leis naturais do meio ambiente. Coma mais frutas da época e verduras frescas mais leves no verão, e vegetais como cenouras e abóboras no inverno para aumentar o calor do seu corpo.  

Novos Rurais - Farming Culture 
Pessoas mais livres, plenas e felizes 
https://www.facebook.com/novosrurais.farmingculture

Tomate Cereja


Foi talvez um dos primeiros exemplares dos chamados legumes baby e talvez um dos mais bem conseguidos.

Pequenos e carnudos, os tomates cereja são, regra geral, também bastante ricos em sabor e têm o perfume do verdadeiro tomate.

Excelentes para acepipes, podem também misturar-se numa qualquer salada de legumes com fruta e, com os mini mozzarellas que aparecem no mercado, fazem uma entrada muito saborosa e engraçada. É só temperar com azeite, umas areias de flor-de-sal e manjericão e surge um prato vistoso, saboroso e leve.
Prefere um clima temperado quente. Exposição: ao sol e ao calor, protegido do vento. Sementeira: em Janeiro para cultivo em estufa e em Março e Abril para sementeira directa. 
Colheita: de Junho a Setembro. Espaçamento: 80/100 cm entre linhas, 30/50 cm entre plantas. Quantidade de sementes: 15/20 g por 100 m2. Semeando 1,5 a 2 g por m2 num total de 100 m2 obtêm-se mudas suficientes para 1 hectare. Rotação: evitar cultivar a seguir a cucurbitáceas, quenopodiáceas, solanáceas e evitar cultivar no mesmo local num período inferior a 4 anos.

Novos Rurais - Farming Culture 
Pessoas mais livres, plenas e felizes 
https://www.facebook.com/novosrurais.farmingculture

quinta-feira, 12 de Junho de 2014

Algas - Vegetais do Mar


Os benefícios e as principais espécies e formas de confeção dos vegetais do mar

As algas marinhas têm tanta vitamina A como a couve e a mesma quantidade de vitamina C que a laranja. E é delas que resultam as propriedades benéficas dos peixes gordos. «Pensa-se que os benefícios do ómega-3 advêm dos ácidos gordos DHA (ácido docosahexaenoico) e EPA (ácido eicosapentaenóico), que o organismo produz a partir do ácido alfalinolénico», informa a sociedade vegetariana britânica.
«As algas marinhas são a fonte primária de DHA e EPA, os peixes gordos derivam-nos a partir das algas», refere ainda o site desta associação. Embora as propriedades das 50 espécies comestíveis de algas sejam variáveis, há características comuns que as tornam autênticos cocktails marinhos.
Como utilizar
O modo de preparação depende do tipo de algas que usar. Reunimos informação do Centro Vegetariano e do Centro Macrobiótico para lhe apresentar algumas das principais variedades:
- Wakamé
Rica em fibra e ácido fólico, tem folhas verdes escuras encaracoladas e um sabor suave e adocicado. Pode ser usada em sopas (como a de miso) ou como acompanhamento, com outros vegetais. Para prepará-la, demolhe-as durante cerca de 20 minutos e ferva em lume brando durante 15 a 20 minutos. Como alternativa, corte em pedaços e sirva como salada. Retire o veio central depois de demolhar, já que não amolecerá com a cozedura.
- Kombu
De cor escura e mais larga que as outras, é excelente para cozinhar com leguminosas. Torna-as mais macias e fáceis de digerir, evitando a formação de gases intestinais. Pode ser usada em sopas e caldos (como o japonês dashi). Se preparar este prato, cozinhe durante, no mínimo, 30 a 45 minutos, após demolhar.
- Nori
Tem folhas finas, uma cor entre o verde vivo e o roxo e um sabor agradável a peixe. É usada em tiras secas para fazer sushi. Favorece a digestão e ativa a circulação sanguínea. Toste rapidamente na chama do fogão e coma diretamente ou parta-a aos pedaços e salpique sobre a sopa, vegetais ou feijões.
- Hizilki
Alga escura e comprida, de textura semelhante à da espécie aramé (uma alga muito fina), mas mais espessa. Tem um forte sabor a mar e 14 vezes mais cálcio que o leite de vaca. Neste caso, demolhe durante cerca de 15 minutos (o seu volume aumentará cinco vezes). Cozinhe durante, no mínimo, 30 minutos.
- Agar-Agar
É um extrato de cor branca ou creme que se obtém a partir de vários tipos de algas vermelhas. Compra-se em fios, flocos ou em barra e, devido à sua capacidade de absorção, pode usar-se para espessar ou gelificar alimentos doces ou salgados, como gelatinas de fruta ou vegetais. Se a preparar, demolhe durante poucos minutos e cozinhe até se dissolver. Misture com fruta e deixe solidificar até obter uma gelatina de origem vegetal.
Onde comprar
Compre algas em lojas de produtos naturais que assegurem que provêm de regiões não poluídas por metais pesados.
Composição nutritiva:
- Energia: 55 a 150 calorias
- Minerais: 36%
- Proteínas: 15 a 40%
- Glúcidos: 10 a 30 %
- Gorduras: Ómega-6 a 3%
- Vitaminas: A, grupo B, C e K
Texto: Rita Miguel com Patrícia Sedeães (nutricionista)

Sabonete português de leite de cabra


O azeite, o leite de cabra serpentina e os óleos essenciais das plantas da flora portuguesa são os principais ingredientes destes sabonetes.

Um sabonete artesanal criado por duas empresárias de Évora com leite de cabra serpentina, raça em vias de extinção, azeite alentejano, óleos essenciais biológicos e cera de abelha está a atrair o interesse estrangeiro. A marca Olivae  já tem distribuidores em Espanha e na Europa de Leste e o próximo objetivo é "conquistar" o norte da Europa.
 
Em entrevista à Lusa, Carla Janeiro, engenheira zootécnica, e Elza Pais, bióloga, as mentoras do projeto, contam que trabalhavam na área da cultura mas, com a crise, foram "obrigadas" a mudar o rumo das suas vidas e a criar o seu próprio negócio.
 
Assim nasceu a Olivae, empresa cuja unidade de fabrico artesanal arrancou em Fevereiro na periferia de Évora. A ideia, porém, surgiu já "há mais de dois anos", com a perspetiva de "aproveitar a folha de oliveira", algo que, na altura, se revelou infrutífero uma vez que "as suas propriedades não se mantinham após o processo de produção do sabonete".
 
Foi então que Carla e Elza decidiram "incorporar" na receita o leite de cabra serpentina - raça autóctone portuguesa "que tem maior expressão no sul", que está em vias de extinção e que o sabonete "acaba por valorizar" - e o azeite de Portel, "ingredientes que existem na região e que são muito apreciados em cosmética".


© Olivae
 
Para Carla Janeiro, são os ingredientes utilizados na sua confeção que distinguem este sabonete: o azeite virgem "tem propriedades hidratantes e emolientes", ao passo que o leite de cabra "tem vitaminas que são boas para assegurar o bom estado da pele".
 
A mesma opinião é partilhada por Elza Pais, que acredita que "o fator distintivo" da Olivae "é a qualidade dos ingredientes, mas também o uso do leite de cabra e do azeite" no fabrico.
 
No mercado há pouco mais de três meses, os sabonetes portugueses já estão à venda em cerca de 30 lojas e mercearias do país e também em Barcelona, Espanha, além de estarem também presentes em diversos hotéis.
 
Contudo, Carla e Elza querem "chegar mais longe". "Estamos a estabelecer contactos com outros países, sobretudo do norte da Europa, onde o preço de venda ao público é três vezes superior", conta a engenheira zootécnica.
 
Para já, o grande objetivo das empresárias passa por criar "uma boa rede de pontos de venda", tanto em Portugal como no estrangeiro, e só mais tarde enveredar pelo fabrico de outros produtos, como cremes corporais, de rosto e mãos, com os mesmos ingredientes de base.

quarta-feira, 11 de Junho de 2014

Fundação+Mais procura empreendedores




Para quem pretende desenvolver o próprio negócio e contribuir para uma causa mas ainda não encontrou o conceito certo, a Fundação+Mais, plataforma não governamental de apoio a projetos sociais, tem uma fórmula original: aliar ideias de negócios sociais disponíveis aos perfis de empreendedores mais adequados para as concretizar, fornecendo os recursos necessários à sua implementação. Até 30 de junho, serão selecionados empreendedores que irão desenvolver as ideias propostas pela organização. As candidaturas podem ser efetuadas através do e-mail: empreendedor@fundacaomais.org.

Com o objetivo de promover o empreendedorismo social – ou seja, projetos orientados para a resolução de problemas relevantes na sociedade – e apoiar empreendedores interessados em desenvolver novos projetos, a Fundação+Mais irá propor aos candidatos ideias de negócios sociais. Aos selecionados serão disponibilizadas os recursos necessários à sua execução, como espaço de trabalho e suporte ao nível jurídico, da gestão, contabilidade ou marketing.

As candidaturas devem ser enviadas durante o mês de junho com o nome, contactos e motivação para gerir um negócio social, com limite máximo de uma página. Agilidade, versatilidade, inteligência e confiança estão entre as características mais valorizadas pela organização que irá selecionar os candidatos que mais se identifiquem com os conceitos de negócio disponíveis.

Recorde-se que, para todos aqueles que já têm ideias de negócios sociais definidas e pretendam apoio e orientação na sua execução, a Fundação+Mais tem um programa de acolhimento disponível. Estes projetos, que serão avaliados em função da sua viabilidade operacional e potencial auto-sustentável, continuam a poder ser apresentados através do site da Fundação+Mais.

terça-feira, 10 de Junho de 2014

Sabia que os cogumelos são excelentes para perder peso?


Sabia que os cogumelos são um excelente aliado para quem quer perder peso? 

São ricos em fibras, auxiliam a digestão e proporcionam uma maior sensação de saciedade, também aumentam o trânsito intestinal, reduzindo o risco de cancro do cólon. Têm uma grande concentração de proteínas, vitaminas do complexo B, C e minerais como potássio, iodo, cálcio e fósforo. Além disso quase não têm gordura (menos de 1g por cada 100g) e possuem um baixo valor calórico. Experimente saltear num wok com um fio de azeite, alho e ervas. Sabor e textura fantásticos para acompanhar qualquer refeição.

Novos Rurais - Farming Culture
Pessoas mais livres, plenas e felizes
https://www.facebook.com/novosrurais.farmingculture

Saiba como plantar alguns alimentos a partir das sobras


Ir à mercearia ou ao supermercado é um gasto desnecessário hoje em dia quando pode plantar alguns vegetais no quintal de sua casa

Se tem muitas sobras quando está a cozinhar, aproveite-as. As raízes da cebola, o cebolinho, o abacaxi e muitos outros alimentos podem realmente crescer em sua casa e acabar com as idas ao supermercado cada vez que precisa de algum deles à última da hora. E tudo o que precisa de gastar é… água! O site Mashable seleccionou alguns alimentos que pode plantar:

1. Batata-doce e batata

Corte as batatas em pedaços e deixe-os secar. Enterre os pedaços secos na terra e, quando a raiz nascer, terá uma nova planta no seu quintal. Depois disso, e se tudo correr bem, terá batatas todos os anos. 

Relativamente à rega, deve manter sempre o solo húmido. 


Ler mais em: Sábado

Viver na cidade com os sabores do campo


Num mundo globalizado, parece ser cada vez mais difícil encontrar produtos puros, feitos de forma artesanal, com receitas tradicionais. É por isso que os hipermercados começaram a ter produtos biológicos nas estantes e que os mercados de rua voltaram a estar na moda.

Hoje muito se fala em produtos biológicos, em que a palavra Natura está associada por excelência.


Mas o que é produto Biológico?

Llévame al huerto - imagen 4

Um produto biológico provém de Modo de Produção Biológico e o modo de produção biológico é um sistema de produção de base ecológica, que recorre ao uso de boas práticas agrícolas com vista à manutenção e melhoria da fertilidade do solo, ao equilíbrio e à diversidade do ecossistema agrícola, promovendo a qualidade ambiental, o bem-estar animal e a saúde humana. Para o efeito, utiliza métodos culturais, biológicos e mecânicos, sempre que possível, em detrimento de materiais sintéticos, e não emprega adubos nem pesticidas químicos de síntese. Com uma procura que excede a oferta, reflectindo as preocupações crescentes dos consumidores com a qualidade dos alimentos e com a preservação ambiental, este sector tem vindo a crescer, em Portugal. Os legumes cultivados em agricultura biológica reforçam o sistema imunitário e a circulação de vitamina E no sangue, indicam os mais rigorosos estudos internacionais.

A Agricultura Biológica tem-se vindo a afirmar como uma forma mais sã de produzir alimentos.

Dado que em Agricultura Biológica não são autorizados os adubos químicos de síntese, os produtos "biológicos" têm naturalmente um teor mais baixo de nitratos e promovem a qualidade ambiental.

Movimento Novos Rurais
http://www.facebook.com/novosrurais.farmingculture

segunda-feira, 9 de Junho de 2014

Novos Rurais


Somos 223.400 amantes da natureza

Estamos a criar um portal, para dar projecção e visibilidade a um conjunto muito interessante e crescente de produtos, serviços e experiências, a todos os amantes da natureza. Junte-se a nós!

Novos Rurais - Farming Culture 
Pessoas mais livres, plenas e felizes 

sexta-feira, 30 de Maio de 2014

Procuramos parceiros institucionais!


Estão abertas vagas a futuras parcerias com os Novos Rurais - Farming Culture

Estamos a criar um portal, para dar projecção e visibilidade a um conjunto muito interessante e crescente de produtos, serviços e experiências, a todos os amantes da natureza.

Novos Rurais - Farming Culture 
Pessoas mais livres, plenas e felizes

terça-feira, 13 de Maio de 2014

Herdade da Calada



O monte da Herdade da Calada apresenta características invulgares, pelo estilo excelência das suas edificações. O visitante encontrará para além de uma das mais modernas adegas de Portugal uma propriedade e um ambiente encantador.


As actuais edificações foram inicialmente estabelecidas pelos descendentes do Duque de Lencaster, que em 1854 criaram uma jóia no coração do Alentejo. Os actuais proprietários são um casal  de empresários Franceses, D.Maria e Sr.Jean Claude Penauille, que pretendem dar continuidade ao projecto, sempre orientado para a obtenção de produtos da mais elevada qualidade.

Visitas e provas de vinho:
De 2ª a 6ª Feira - Das 09.30 às 16.30 horas
Sábado e Domingo - Marcação prévia

NOTA: Aconselha-se marcação antecipada.

COORDENADAS GPS:
Lat.: 38.6792500º              Long.: -7.8471389º

Viveiro de mudas reutilizando cascas de ovos


Quando as plantas estiverem fortes e prontas para serem transplantadas para um recipiente mais permanente ou no jardim, basta tirá-las da caixa e esmagar a casca de ovo no solo justamente no buraco onde ficará a muda. O cálcio presente na casca é um óptimo adubo. Sem materiais tóxicos utilizados ou eliminados o “recipiente” é 100% reciclável.

Movimento Novos Rurais
Pessoas mais livres, plenas e felizes
https://www.facebook.com/novosrurais.farmingculture

segunda-feira, 12 de Maio de 2014

Turismo Rural


Porquê ir para fora quando temos o melhor turismo rural do mundo?

Portugal é um país pequeno, mas tem as praias mais bonitas do mundo, montanhas lindíssimas, lagos e rios magníficos,excelentes vinhos e comidas deliciosas... e, mais importante do que tudo, somos muito hospitaleiros.

Novos Rurais
Pessoas mais livres, plenas e felizes!
https://www.facebook.com/novosrurais.farmingculture
   

segunda-feira, 5 de Maio de 2014

O Direito à alimentação e à soberania alimentar


Círculo de Leitura e Seminário
O Direito à alimentação e à Soberania Alimentar

Um novo paradigma focado no bem estar, resiliência e sustentabilidade tem de ser criado para substituir o paradigma produtivista e assim apoiar melhor a realização plena do direito a uma alimentação adequada.
A equação é complexa, mas pode ser resolvida.”
Olivier De Schutter

Este Círculo de Leitura e Seminário que o CIDAC organiza insere-se num ciclo de iniciativas que visam dar a conhecer, debater e aprofundar os conhecimentos sobre questões globais dos modelos de produção e consumo alimentar e abordando alternativas em favor da Soberania Alimentar.

Este ciclo de iniciativas é dedicado ao debate sobre o Direito à Alimentação e à Soberania Alimentar e o convidado de referência é Olivier de Schutter, relator especial da ONU para o Direito à Alimentação.

Olivier De Schutter proferirá também uma conferência aberta ao público no dia 20 de maio, às 18.30h, no Auditório 3 da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Círculo de Leitura
29 de abril das 18h às 21h
06 de maio das 18h às 21h
13 de maio das 18h às 21h

Orientado por Carolina Leão
membro da equipa de coordenação. do NOEs – Núcleo de Pesquisa Outras Economias (Mó de Vida Cooperativa – Portugal & Universidade Federal Fluminense – Brasil) Investigadora no SOCIUS/ ISEG – Universidade de Lisboa

Seminário
19 de maio das 16h às 21h
Orientado por Olivier De Schutter
Língua de trabalho do Seminário: Inglês

Inscrições
Pedimos a confirmação até ao dia 24 de abril, através do envio da ficha de inscrição (em anexo) para ed-ja@cidac.pt

Cada uma destas atividades tem um número de pessoas limitado a 20 participantes. Será dada prioridade a pessoas que se inscrevam nas duas atividades.

Inscrição no Círculo de Leitura 15€
Inscrição no Seminário 10€
Inscrição no Círculo de leitura e Seminário 20€

Pagamento por transferência bancária após confirmação da inscrição.

Local
Centro de Recursos para o Desenvolvimento do CIDAC, Rua Tomás Ribeiro, nº3 (perto da estação de metro de Picoas)

Estas atividades realizam-se no âmbito do projeto “Do Campo para o Prato, o direito à alimentação e à Soberania Alimentar em debate”.
Apoio:

Instituto Camões, Fundação Gulbenkian, Jornal Público