Ser verde é poupar dinheiro

         
 
Há certas mudanças de atitudes para simplificar a vida que, não só reduzem a pegada ambiental, como também trazem alguma economia de dinheiro.


Aqui estão algumas delas, que compartilho com vocês:
1. Cozinhar em casa
Preciso ter mais controle sobre minha alimentação, a fim de amenizar as terríveis dores no estômago. E, devido  a minha falta de talento na cozinha, ter de cozinhar em casa é um desafio . O saldo, além de melhor qualidade de vida, é a economia do dinheiro que gastava com comida pronta ou em comer fora de casa (e isto inclui combustível e estacionamento).
Embora os alimentos integrais, naturais e saudáveis, muitas vezes, sejam mais caros, ainda assim, é mais econômico prepará-los em casa. Ao evitar alimentos processados ​​ou embalados, na medida em que isto é possível, evito ingerir os produtos químicos e aditivos presentes neles e diminuo o excesso de embalagens e processos de fabricação prejudiciais ao meio ambiente.
2. Cultivar uma horta
Um quintal seria muito mais adequado para cultivar hortaliças para quem tem uma família grande, e, deste modo, poupar dinheiro. Porém, como meu consumo é mínimo, é possível conseguir temperos frescos, em jardineiras e vasos, na varanda de meu apartamento.
Não só o sabor é melhor, como também é mais saudável para meu estômago substituir aqueles temperos prontos que costumava usar. Novamente, evito os aditivos químicos e as embalagens, e excluo estes itens de minha lista de compras.
3. Limpar a casa naturalmente
Os produtos de limpeza naturais são menos tóxicos, bons para o ambiente e para a saúde, e também são mais econômicos. Lembram o sabão caseiro que fiz há 2 meses? Só usei ¼ dele! É bem eficiente para lavar louças, panelas e talheres, para limpar fogão e azulejos. E rende muito.
Para lavar roupas, aderi às Ecoballs, que dispensam o sabão em pó. Praticamentetudo é limpo com vinagre, bicarbonato de sódio, água e sabão caseiro. A casa não cheira a produtos de limpeza, porém posso respirar melhor, pois não tenho mais alergia, e meu bolso agradece a economia na compra de remédios também!
4. Iluminar economicamente
Mudei todas as lâmpadas para fluorescentes, que usam 80% menos energia e duram 10 vezes mais do que lâmpadas incandescentes convencionais. Todas as cortinas do apartamento são claras e leves, o que permite mais tempo de luz natural em casa.
Não apenas consumo menos energia, mas também economizo na conta de luz e na compra de lâmpadas, já que as econômicas são mais duráveis. Isso gera um grande impacto sobre o ambiente e, é óbvio, em minha planilha de gastos.
5. Eliminar o uso de descartáveis 
Os copos de papel e de plástico não são a melhor opção para o meio ambiente. No trabalho, tenho uma xícara e uma caneca de louça para cafezinho e água, e um kit com talheres para as refeições. Atitude seguida pela maioria dos professores que lá trabalham.
Em casa, há um apenas um copo e uma xícara sobre a pia, que são usados durante todo o dia, a fim de não acumular louça. Mantenho, na geladeira, uma garrafinha para a Princesinha, e basta recarregá-la com água quando necessário.
Menos louça suja, mais economia de água e sabão e nenhum resíduo dos produtos descartáveis.
6. Reutilizar os sacos de mantimentos
Comprar sacos de mantimentos maiores gera economia no preço do alimento, e eu posso reutilizá-los ​​para forrar as lixeirinhas da pia da cozinha. Quando esqueço de levar minhas ecobags, em pequenas compras, trago o mínimo de sacolas de plástico, que são reutilizadas como forro nas lixeiras de chão e do banheiro e na cesta de lixo do escritório.
Não compro mais os caríssimos sacos biodegradáveis para o lixo. Qualquer embalagem de mantimento pode acondicionar os resíduos da cozinha, que são poucos, já que as cascas dos vegetais e ovos e os restos de alimentos in natura são enterrados para adubar minha hortinha.
7. Facilitar a reciclagem
Tenho duas lixeiras na área de serviço: uma para colocar papel, plástico e alumínio; outra, para o lixo úmido que não serve para adubo. Caixas e potes que podem ser reutilizados são guardados pra
A senhora que recolhe materiais para reciclagem já encontra tudo separadinho, e ela também pode ganhar dinheiro com minha atitude. Estou ajudando a preservar o meio ambiente, e incentivando a reutilização de seus recursos naturais.
E muito mais…
Melhorar minha qualidade de vida significa ser sustentável com naturalidade. Pequenas mudanças podem gerar um impacto muito maior do que vocês imaginam! Ser verde é poupar os recursos naturais, e também é poupar dinheiro.
Estas são apenas algumas atitudes, bem simples, incorporadas a meu cotidiano, que não custaram nenhum sacrifício e nem a perda de meu conforto. Pelo contrário, me proporcionaram economia de dinheiro para usar com algo mais necessário. Coisa de pobre? Pode ser. Eu prefiro chamar de ecoconsciência e responsabilidade ambiental.
E acredito que esta é uma das razões para os ricos não serem sustentáveis: o lucro e o consumismo exagerado. O caminho que a sustentabilidade faz através do bolso, talvez seja um dos meios mais eficientes para levar as empresas a fazer sua parte pelo planeta, ainda que indiretamente.
E vocês, que mudanças incorporaram a seu dia a dia para diminuir o impacto nocivo sobre o ambiente?

Via: Rede Ecoblogs
Partilhar

Comentários

  1. Alguns dos meus:

    1.Andar a pé, de bicicleta ou transportes colectivos, evitar aviões.

    2. Compostagem

    3. Redutores de caudal, duches curtos

    4. Comprar fresco, no mercado local, cozinhar a mais para outras refeições, conservar, congelar.

    Etc, etc :D

    Todas estas coisas combinadas pouparam-me à vontade para cima de 2000€ por ano, dos quais 90% são o comer em casa e os meios de transporte, que são as duas opções mais significativas em termos ambientais e económicos, fora as relacionadas com a construção.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário