Hortas em Santo António terão mercado local



A Câmara Municipal do Funchal inaugurou ontem mais 14 lotes individuais de hortas urbanas, desta feita na Vitória, em Santo António. O presidente da autarquia, Miguel Albuquerque, divulgou que o objectivo é preparar mais terrenos para atribuir hortas urbanas aos munícipes daquela freguesia. A ideia será atingir as 100 estruturas. 


Para além disso, e de acordo com a sugestão apresentada ao edil pelo presidente da Junta de Freguesia de Santo António, será feito um mercado de carácter quinzenal ou mensal para que as pessoas possam vender os excedentes dos seus produtos hortícolas, sendo esta mais uma forma de ajuda social, como realçou Miguel Albuquerque.

O presidente da CMF salientou que já foram distribuídas no Funchal 250 horas urbanas, estando em lista de espera 186 pessoas que também querem ter um “cantinho” para plantar. Segundo as contas da autarquia, a área total de hortas municipais, distribuída por cinco freguesias, já ultrapassa os 18 mil metros quadrados.

Ali, em Santo António, com vista para o campo do Marítimo, Maria Joaquim foi uma das contempladas com uma horta na Vitória. A munícipe concorreu para um espaço porque «adorava ter uma hortazinha. Agora que estou reformada, sinto-me útil». Na sua horta, pretende plantar feijão, milho e couves, «para começar». Serão menos produtos que terá de comprar para a família, acrescentou a moradora na Vitória.

Saliente-se que, à margem da inauguração das hortas, Miguel Albuquerque disse não ter ainda recebido qualquer informação formal da Secretaria Regional do Equipamento Social sobre o parecer da autarquia para o projecto de intervenção nos troços terminais das ribeiras de Santa Luzia e de João Gomes. «Vamos aguardar por essa informação e depois tomaremos uma posição em função do que for dito pela Secretaria», disse apenas.


Comentários

Mensagens populares