Fonte da Benémola passa de Sítio Classificado a Paisagem Protegida Local




Este momento assinala a mudança de paradigma da gestão da Fonte da Benémola. 

No passado foram cometidos erros em relação a esta área protegida, que foi deixada ao abandono por quem aqui tinha responsabilidades. Houve sempre uma desconfiança em relação ao papel que as autarquias - Câmara Municipal e Juntas de Freguesia - poderiam ter na sua dinamização, mas o novo enquadramento legal vem agora reforçar a confiança nestas entidades", sublinhou o presidente da Assembleia de Freguesia, Bruno Inácio que frisou ainda "a importância de sair de dentro das paredes dos organismos públicos e trazer as instituições para o terreno, onde as coisas acontecem. Este dia marca um virar de página nesta Freguesia, e o simbolismo de realizarmos esta assembleia neste local vincará ainda mais tal marco". 

Igualmente satisfeito estava o presidente da Junta de Freguesia de Querença, Manuel Viegas dos Santos, que mostrou o empenhou da autarquia local para dinamizar a Benémola e o seu Vale. "Finalmente a nossa Fonte vai ter um novo ciclo que será de grande importância para o próprio desenvolvimento da nossa freguesia", disse.

Já o vereador do Ambiente da Câmara Municipal de Loulé, Aníbal Moreno, enquanto presidente da Comissão Directiva que está a gerir as Paisagens Protegidas Locais da Rocha da Pena e da Fonte Benémola, foi bastante crítico em relação ao Estado Central por ter deixado ao abandono estas áreas. "Durante anos não se importaram minimamente com a gestão, a manutenção e a segurança da Fonte e de toda a sua envolvente", sublinhou.

Aníbal Moreno explicou aos participantes nesta Assembleia todo o processo que levou à passagem da Benémola de Sítio Classificado para Paisagem Protegida Local, até à aprovação do respectivo Regulamento, que já está em vigor. E falou ainda das diversas actividades que já estão programadas neste novo ciclo de vida das Paisagens Protegidas Locais, em particular das acções de limpeza e requalificação, colocação de sinalética informativa, projectos com escolas para a educação ambiental e dinamização do espaço e ainda de um projecto que tem em mente, pioneiro nesta área, que irá, no futuro, permitir que os visitantes possam fazer uma visita guiada ao espaço, apoiados por uma gravação, utilizando o seu telemóvel ou PDA. 

Com a criação destas Paisagens Protegidas Locais, os principais objectivos passam por proteger e conservar os valores biofísicos, estéticos, paisagísticos e biológicos do Barrocal; fomentar de forma equilibrada e sustentada, o desenvolvimento económico, social e cultural da região, incentivando e apoiando as actividades tradicionais, a recuperação de povoados e construções antigas de arquitectura tradicional, potenciando os recursos naturais e humanos; promover o ordenamento do território para que o seu uso seja feito sem prejuízo dos fins referidos; promover a divulgação dos seus valores naturais, arquitectónicos/arqueológicos e estéticos, bem como criar condições para a divulgação destes valores, como pólos de atracção turística ou de lazer.


Comentários