Somos amistosos e curiosos, inteligentes e irreverentes, engraçados e atarefados, brincalhões e trapalhões, optimistas e saudosistas, pensativos e cognitivos, ingénuos e ténuos, divertidos e vividos, sabichões e amigalhões, honestos e lestos, vaidosos e afectuosos, empenhados e assanhados, extravagantes e acutilantes, compreensivos e objectivos, sociáveis e admiráveis, distraídos e agradecidos, orgulhosos e atenciosos, pacatos e sensatos. Mas... o que gostamos mesmo... é do Movimento Novos Rurais!

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Governo quer “aumentar produção nacional” na agricultura




O “aumento da produção agrícola nacional” é importante para o desenvolvimento económico do País, sendo um objectivo “muito claro” do Governo, disse recentemente a ministra da Agricultura.

Assunção Cristas defendeu que Portugal deve “tentar produzir mais” nas áreas em que tem boas condições para tal, no sentido de reduzir a dependência das importações no sector alimentar, que se situa actualmente nos 30%.
“A médio prazo, achamos que é possível equilibrar a balança, ou seja, em termos de valor, vender tanto quanto compramos”, disse a ministra da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território.
Na segunda convenção social-democrata do distrito de Setúbal, dedicada às actividades relacionadas com o campo e o mar, que decorreu em Santiago do Cacém, a governante centrista apontou como uma das estratégias para atingir o objectivo definido “utilizar todo o dinheiro que temos”.
A ministra referia-se aos “milhões de euros” que, no Orçamento do Estado, têm de ser inscritos para pagamento de coimas à União Europeia, por exemplo, pelo atraso na actualização do parcelário agrícola.
“É particularmente doloroso saber que dinheiro que poderia ser canalizado para a produção, para o investimento, está alocado ao pagamento de multas a Bruxelas”, reforçou.
Lusa

Sem comentários:

Enviar um comentário