Projecto “prove” chegou a Albufeira


O Município de Albufeira viu os primeiros cabazes PROVE serem entregues a mais de duas dezenas de munícipes, no dia 12 de outubro, na presença de produtores, consumidores e dos representantes da Associação In Loco, entidade dinamizadora do projeto a nível regional. 


Legumes, frutas, hortaliça e muitos outros produtos resultantes de agricultura biológica compõem o cabaz 100% BIO, que passou agora a ser também distribuído em Albufeira pelo Núcleo PROVE de Loulé.

Norberto e Luísa Coelho são um dos produtores biológicos que integram este núcleo, responsável pela elaboração dos 23 cabazes entregues em Albufeira. Para este casal de agricultores, esta é uma forma de escoarem a sua produção agrícola, sem terem que efetuar deslocações constantes a Lisboa, onde vendiam os seus produtos.

“Estamos bastante satisfeitos por termos aderido a esta iniciativa, que tem vindo a registar um aumento de procura”, refere Luísa Coelho, acrescentando que “para além de conseguirmos vender o que produzimos, recebemos de imediato já que o pagamento é feito diretamente entre consumidor e produtor”.

Por 15 euros, o consumidor pode adquirir um cabaz com cerca de oito quilogramas e composto por uma diversidade de produtos da época ou pode optar por um mini cabaz com metade do peso e preço. A regularidade da entrega (semanal, quinzenal ou mensal) será em função do agregado familiar, dos hábitos alimentares e horários profissionais.

“Esta é uma ótima iniciativa, pois permite-nos ter acesso a este tipo de produtos que são bastante mais saudáveis”, salienta Sandra Fonseca, uma das consumidoras do cabaz 100% BIO. Para Sandra, o fato do cabaz integrar uma grande variedade de produtos constitui uma mais valia, já que “nos permite conhecer alimentos que habitualmente nunca compraríamos no supermercado e que agora temos a oportunidade de experimentar”, revela.

No Algarve, existem quatro Núcleos PROVE compostos por dois grupos de produtores especializados em agricultura biológica e outros tantos que recorrem à prática convencional.

“O cabaz biológico é o que desperta maior interesse no consumidor, pois este está cada vez mais consciente das vantagens de consumir produtos mais saudáveis e saborosos, produzidos localmente e na época apropriada, e a preços mais acessíveis”, constata Ana Arsénio, representante da Associação de Desenvolvimento Local In Loco, uma das entidades responsáveis pela implementação da metodologia PROVE na região.

O Município de Albufeira, foi o responsável pela colocação do concelho na rota do PROVE, divulgando o projeto. “A economia de proximidade detém um importante papel no atual contexto de combate à crise, através do estímulo ao desenvolvimento das comunidades locais, na criação e promoção de novas dinâmicas, sustentabilidade social e economia.

Este projeto pode fazer a diferença, ao incentivar o consumo e a partilha de variedades hortofrutícolas locais, o que irá contribuir para o escoamento das produções dos pequenos produtores agrícolas”, destaca a vereadora Ana Pífaro.

Para a autarca, “esta é uma aposta que poderá despoletar um novo desenvolvimento económico para o nosso concelho, pelo que o próximo objetivo é incentivar os produtores de Albufeira a escoar os seus produtos através deste programa, independentemente de serem pequenos ou grandes produtores”.



Comentários

Mensagens populares