Somos amistosos e curiosos, inteligentes e irreverentes, engraçados e atarefados, brincalhões e trapalhões, optimistas e saudosistas, pensativos e cognitivos, ingénuos e ténuos, divertidos e vividos, sabichões e amigalhões, honestos e lestos, vaidosos e afectuosos, empenhados e assanhados, extravagantes e acutilantes, compreensivos e objectivos, sociáveis e admiráveis, distraídos e agradecidos, orgulhosos e atenciosos, pacatos e sensatos. Mas... o que gostamos mesmo... é do Movimento Novos Rurais!

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Uma utilização racional dos recursos. Fazer mais com menos





O nosso bem-estar futuro depende da utilização eficiente dos recursos no presente. Seguem-se algumas sugestões úteis.


O nosso comportamento actual em termos de consumo tem um preço: à medida que os recursos escasseiam, colocamos em risco o nosso bem-estar futuro.
Estamos a consumir os recursos limitados do planeta a um ritmo que não permite a sua renovação. As nossas reservas de minerais, metais e energia estão ameaçadas e o mesmo se verifica com as reservas de peixe, madeira, água, solos férteis e outros recursos naturais.
A eficiência em termos de recursos consiste na utilização sustentável dos recursos – ou seja, em fazer mais com menos e reduzir o nosso impacto sobre o ambiente. Fazer as escolhas certas, alterando os nossos hábitos de consumo, pode ajudar a assegurar uma boa qualidade de vida no presente e para as gerações futuras. Não se trata de consumir menos, mas de consumir de maneira diferente.
O que podemos fazer e como?
Cerca de 80% do impacto ambiental do nosso estilo de vida advém dos edifícios, dos transportes e dos produtos alimentares. São, portanto, estes os domínios onde precisamos de concentrar a nossa acção.
Temos de alterar o modo como consumimos. Devemos utilizar os recursos com mais moderação, proceder à sua reutilização ou reciclagem sempre que possível, atribuir um valor aos que não têm preço e escolher alternativas menos poluentes.
Este comportamento implica repensar as rotinas, colocar mais questões sobre a origem dos produtos e a forma como foram produzidos, evitar o desperdício de recursos, fazer escolhas sustentáveis, ler as etiquetas com mais atenção, apostar na reutilização e na reciclagem e dar espaço à natureza.
Podemos começar com os gestos do quotidiano
Reduzindo o consumo de carne e de produtos lácteos, ajudamos a proteger a biodiversidade e a diminuir a pressão sobre o solo. Escolhendo com mais cuidado o que compramos e consumindo as sobras, ajudamos a reduzir os resíduos alimentares.
Podemos poupar energia em casa, eliminando as correntes de ar e regulando o termóstato. E, se for mesmo necessário comprar um telemóvel novo todos os anos, é fundamental deitar fora o antigo num local apropriado, dado que contém metais preciosos que podem ser reciclados. 
Alterar os hábitos é um desafio. Mas, por enquanto, ainda temos escolha. Por isso, qual é a opção que prefere: enfrentar o problema mais tarde ou começar já a utilizar os recursos de forma mais eficiente?


Via: UE

Sem comentários:

Enviar um comentário