Hortas Urbanas - Um talhão para cultivar



O sucesso das hortas urbanas, em Portugal, não pára. E se no início eram poucos os que aderiam à agricultura citadina, hoje já vão faltando os terrenos para tantos interessados.


Cerca de 1.900 pessoas do Grande Porto esperam por um pequeno talhão para cultivar no âmbito do projecto Horta à Porta, da Lipor, mas este número tem vindo a aumentar devido à actual crise.
“Face à crise actual, a procura por projectos desta natureza têm crescido”, diz Ana Lopes, responsável por este projecto da Lipor – Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, que prevê a criação de 2 novas hortas por ano.
Segundo Ana Lopes, actualmente existem quase 1.900 pessoas em lista de espera, muitas em concelhos onde ainda não existem hortas, o que impulsiona a Lipor a continuar a desenvolver este projecto.
A ideia da Lipor é “tentar dar resposta às necessidades da população, procurando fortalecer as parcerias já estabelecidas, mas também fomentando novas que se possam vir a gerar”.
“Têm-se verificado diferentes motivações para as inscrições, mas este ano há de facto uma procura por questões de necessidade”, salientou a responsável.
O Horta à Porta é um projecto que tem por base um trabalho de cooperação com impactos ambientais, agrícolas e sociais significativos, uma vez que promove boas práticas ambientais, através da agricultura de modo biológico caseiro.
O projecto também promove o contacto com a natureza, a melhoria da qualidade de vida da população e fomenta a coesão social.
O Horta à Porta, que foi criado em Julho de 2003, conta actualmente com 21 hortas, disponibilizando, no total, cerca de 3,9 hectares de agricultura biológica, em 5 municípios do Grande Porto.
Na prática, este projecto pretende disponibilizar talhões de no mínimo 25 metros quadrados a particulares interessados em praticar a agricultura biológica e a compostagem, acolhendo actualmente 537 pessoas.
Ao receber o talhão de terreno, os futuros agricultores recebem também formação em agricultura biológica, sendo que os produtos são para consumo próprio.
No âmbito deste projecto, são disponibilizados água e um local para armazenar as ferramentas, bem como um compostor individual.
Ana Lopes referiu que a entrega dos talhões é feita de acordo com a ordem de inscrição dos interessados, que devem responder aos requisitos (disponíveis no site da Lipor).
Lusa

Comentários

  1. Hernâni Dias y el colectivo que ha fundado, “re:farm the city”, tienen un ambicioso proyecto entre manos: proporcionar herramientas “libres” (de código abierto) para agricultores urbanos y contribuir así a la proliferación deun nuevo tipo de granja: urbana, descentralizada, basada en el conocimiento compartido.
    http://www.faircompanies.com/videos/view/replantar-la-ciudad-herramientas-para-agricultures-urbanos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares