Agricultura biológica: negócio cresce 20% ao ano



O volume de negócios da agricultura biológica em Portugal atinge mais de 20 milhões de euros e cresce 20% anualmente, com a área cultivada a aumentar 60% no último ano, segundo o ministério da Agricultura.

Num documento sobre a presença portuguesa na maior feira europeia de produtos biológicos, a Biofach, que decorre até sábado em Nuremberga, o secretário de Estado da Agricultura salientou que a área de produção de produtos biológicos em Portugal cresceu 60% no último ano.

José Diogo Albuquerque, sublinhou a importância desta actividade «para a economia portuguesa que pode aumentar as suas exportações para os maiores e mais exigentes mercados europeus, como a Alemanha que tem um mercado que vale cerca de 5,9 mil milhões de euros por ano e produz apenas para cerca de metade das suas necessidades».

Pela primeira vez, Portugal esteve representado nesta feira através de 26 produtores de produtos biológicos e pelas Organizações de Produtores Agrobio e Associação de Defesa do Património de Mértola.

O sector estima que o volume de negócios ronda os 20 a 22 milhões de euros por ano, com uma taxa de crescimento de 20%.

Existem em Portugal 5.847 produtores agrícolas biológicos que cultivam uma superfície total de 210.981 hectares, o que representa cerca de 5,5% da superfície agrícola utilizada, ligeiramente acima da média comunitária, indica o ministério da Agricultura.

Hipers prometem dar preferência a produtos nacionais

As empresas de distribuição comprometeram-se esta sexta-feira a dar preferência aos produtores nacionais de hortofrutícolas, através de um protocolo assinado com a Federação Nacional das Organizações de Produtores de Frutas e Hortícolas (FNOP).

O protocolo assinado entre estas entidades visa «estimular o acesso de produtos hortofrutícolas» aos hipermercados, bem como a criação de uma organização interprofissional do sector hortofrutícola que contribua «para um melhor conhecimento e transparência dos mercados».

A Associação Portuguesa das Empresas de Distribuição destaca que «cerca de 80% dos produtos hortofrutícolas oferecidos pela distribuição moderna são nacionais» e adianta que os hipermercados trabalham com mais de 8.000 produtores e organizações de produtores.

No entanto, subsistem alguns problemas que se pretende ultrapassar com o protocolo de colaboração, nomeadamente a sazonalidade da produção, dificuldades de implementação do associativismo e eficiência na produção.


Comentários