Évora cria hortas urbanas para ajudar famílias carenciadas



Mais de 20 terrenos municipais abandonados da periferia de Évora vão ser divididos em talhões e transformados em hortas urbanas, num projecto da autarquia para contribuir para a sustentabilidade ambiental e ajudar as famílias mais carenciadas.

Os mais de 20 espaços municipais destinados às hortas urbanas estão localizados nas freguesias da Malagueira, Bacelo, Senhora da Saúde e Horta das Figueiras e vão ser divididos em talhões de 25 e 50 metros quadrados. As parcelas serão disponibilizadas à população, de forma gratuita, para a produção hortícola e floricultura, de acordo com as regras de acesso, aprovadas na última reunião pública de Câmara.

O projecto vai permitir que os interessados “cultivem e tenham acesso a legumes da sua própria produção”, sendo “um acréscimo, embora modesto, para o orçamento de algumas famílias mais carenciadas”, disse o presidente da Câmara de Évora, José Ernesto Oliveira.

“É um projecto envolvente, no qual queremos a participação do maior número possível de pessoas”, salientou José Ernesto Oliveira, adiantando que “já há interessados em dinamizar” as hortas urbanas, sobretudo, associações de reformados e clubes desportivos de bairro.

Alguns dos terrenos já têm fonte de abastecimento de água, através de furos ou poços, mas, naqueles que não tenham água própria, o município disponibiliza-se a fornecer através de um reboque cisterna, indicou o autarca.

Quanto ao fornecimento de electricidade, o autarca garantiu que em todos os espaços haverá “ponto de luz que será de utilização colectiva”.

O município explica que o projecto, que decorre do processo da Agenda XXI, fomenta práticas de consumo mais equilibradas, amplia a biodiversidade, alicerça a consciência da necessidade de um desenvolvimento sustentável e potencia a convivência familiar e comunitária, contribuindo para uma melhor consciência ambiental.


Comentários

Mensagens populares