Somos amistosos e curiosos, inteligentes e irreverentes, engraçados e atarefados, brincalhões e trapalhões, optimistas e saudosistas, pensativos e cognitivos, ingénuos e ténuos, divertidos e vividos, sabichões e amigalhões, honestos e lestos, vaidosos e afectuosos, empenhados e assanhados, extravagantes e acutilantes, compreensivos e objectivos, sociáveis e admiráveis, distraídos e agradecidos, orgulhosos e atenciosos, pacatos e sensatos. Mas... o que gostamos mesmo... é do Movimento Novos Rurais!

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Gesterra - Cultivo de terrenos abandonados


Um engenheiro florestal português vai implementar, no concelho da Guarda, um projeto que visa a criação de uma bolsa de terrenos agrícolas e a gestão de campos abandonados com vista à promoção do seu cultivo. Com o "Gesterra", os desempregados e jovens poderão ver na agricultura "uma atividade sustentável e uma oportunidade de ultrapassar uma época de crise".
 
Em declarações à agência Lusa, Ricardo Nabais, de 29 anos, mentor da ideia e também dirigente do núcleo da Guarda da Quercus, explicou que o projeto em causa será posto em prática na sequência de ter ganho o primeiro prémio de um concurso promovido pelo Projeto Guarda+Social.
 
De acordo com o engenheiro, muitos terrenos estão abandonados "por falta de pessoas interessadas" no seu cultivo, quando surgem alguns jovens casais que procuram "melhor qualidade de vida" no interior, mas não possuem terrenos para se fixarem.
 
"Percebe-se que, por um lado, há terrenos abandonados que precisam de ser cultivados, pessoas que os podem ceder, alugar ou vender e, por outro, pessoas que precisam e gostariam de ter um terreno que pudessem cultivar e que lhes proporcionasse alguma sustentabilidade", sublinhou.
 
 O "Gesterra" surge, portanto, como um "elo de ligação entre os dois públicos distintos". Tal ligação será efetuada por meio de duas bolsas - uma de terrenos e outra de interessados em cultivar - que serão disponibilizadas numa plataforma na Internet.

Através da "bolsa de terrenos" reúnem-se ofertas de terras, inscritas pelos seus proprietários, e quem procura áreas para cultivo só terá de inscrever-se na "bolsa de interessados".

Projeto poderá chegar a todo o país
 
Segundo Ricardo Nabais, o projeto vai articular "com base na localidade e espaço pretendido por cada interessado" o terreno que melhor corresponde às suas necessidades. "Iremos só fazer a ligação entre os proprietários e os interessados. Depois, as pessoas têm de se entender", adiantou.
 
Numa fase seguinte, o criador do "Gesterra" admite que poderá vir a ser criada uma empresa ou cooperativa "para gerir os terrenos abandonados", caso não surjam interessados no seu cultivo, estando também prevista a possibilidade de ser constituído um "agrupamento de produtores" para escoamento dos produtos agrícolas.
 
O coordenador acredita no sucesso do plano, apesar de reconhecer que a grande dificuldade será "encontrar a maioria dos proprietários" e fazer com que estes arrendem ou emprestem os terrenos que estão ao abandono.
 
O projeto, que vai arrancar na Guarda, poderá ser estendido a outros municípios da região e a todo o território nacional. 

Via: Lusa

12 comentários:

  1. está claro que isto não vai funcionar.

    ResponderEliminar
  2. Quem fez este ultimo comentário esta nitidamente no grupo de pessoas que esta a mandar este pais para baixo!

    ResponderEliminar
  3. Acredito que com gente decidida tudo pode ir para a frente. Já tive uma quinta que me deu o maior prazer na agricultura. Hoje não a tenho, mas continuo a fazer horta no quintal. Espero que este projecto possa dar resultado. Aposto nisso.

    ResponderEliminar
  4. Boa noite, tenho um terreno e se alguém quiser cultiva lo terei todo o gosto...pois não tenho tempo para o fazer :(
    Cumprimentos
    Su Gonçalves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Susana, onde fica o seu terreno e qual a área do mesmo?

      Eliminar
    2. Susana, onde fica o seu terreno e qual a área do mesmo?

      Eliminar
  5. A organizacao e liderança sao essenciais em qualquer projecto. É o que esta iniciativa permite. Que pessoas com P,ouça ou nenhuma experiência em agricultura possam duma forma apoiada e o menos onerosa possivel arrancar com o seu sonho agricola. Por mim, aguardo e aplaudo!

    ResponderEliminar
  6. boa tarde,
    possuo 2 terrenos para arrendar.
    1º - 7500m2 santa maria da feira
    2º - 5000m2 vila nova de poiares - coimbra
    faço arrendamentos até 25 anos.
    quem estiver interessado envia email para: miguelbalves@yahoo.com

    ResponderEliminar
  7. INVESTIMENTO PESSOAL rápido, fácil e fiável:
    Vocês que têm problemas financeiros, vocês que tem necessidade de investimentos não faz mais preocupações. Tinha necessidade de um investimento pessoal para uma empresa familiar. De acordo com as minhas investigações sobre o nítido a fim de obter um empréstimo em linha, caí sobre uma mulher de negócio portuguesa de boa vontade e boa fé a Sra. ANA CASEIRO (anacaseiro434@yahoo.pt) que concedeu-me um investimento (crédito) de 120.000 EUR por transferência bancária sem nenhum problema e sem nenhum protocolo após ter respeitado as suas condições. Continua sempre ajudar as pessoas que têm problemas financeiros e permite-lhes resolver os seus problemas. Faço este testemunho porque é graças à Sra. ANA CASEIRO que pude realizar o meu projeto. Se tiver problemas financeiros e que tem necessidade dos seus serviços contactam lá rapidamente a fim de encontrar solução aos vossos problemas.Pode contactar-o pelo seu email: anacaseiro434@yahoo.pt

    ResponderEliminar
  8. já ninguém fala neste projecto na Guarda ...
    até a Quinta da Maunça est'a praticamente ao abandono ...

    ResponderEliminar
  9. Boa ideia, Têm que fazer isso aqui em Braga, pois aqui terrenos abandonados não faltam, estou à procura de um pedaço de terra para cultivar e não encontro nada, pois ideias e vontade não me faltam.
    À velho ditado que diz, Deus dá nozes a quem não tem dentes.

    ResponderEliminar