Somos amistosos e curiosos, inteligentes e irreverentes, engraçados e atarefados, brincalhões e trapalhões, optimistas e saudosistas, pensativos e cognitivos, ingénuos e ténuos, divertidos e vividos, sabichões e amigalhões, honestos e lestos, vaidosos e afectuosos, empenhados e assanhados, extravagantes e acutilantes, compreensivos e objectivos, sociáveis e admiráveis, distraídos e agradecidos, orgulhosos e atenciosos, pacatos e sensatos. Mas... o que gostamos mesmo... é do Movimento Novos Rurais!

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

É no Sul que crescem as árvores do meu paraíso


É no Sul que crescem as árvores do meu paraíso.
Quem gosta de figos?

É no Sul que crescem as árvores do meu paraíso, as que dão frutos verdes ou negros, que se abrem para um interior de mistérios, sob a promessa de açúcar sem fim. São os f
igos da minha vontade. Vício último de quem não morre nem mata por doce. Todo o ser tem o seu ponto fraco, contraditório, inexplicável. O meu começa e acaba num prato de figos.

Os figos levam-me às memórias das férias no Alentejo, quando, em noites quentes de Verão, depois da ceia, meu avô me dizia: “João, hoje vamos dormir os dois debaixo da figueira”.

Dormir uma sesta com aroma a figos.
Uma das melhores recordações de infância!
João Monge Ferreira

Movimento Novos Rurais
Pessoas mais livres, plenas e felizes!https://www.facebook.com/novosrurais.farmingculture

1 comentário:

  1. Ir à figueira em criança também é uma das minhas melhores recordações de infância. Ainda hoje sou capaz de devorar figos debaixo da figueira do meu pai. No prato já não tem a mesma graça... mas nunca me farto de comer figos..

    ResponderEliminar