Somos amistosos e curiosos, inteligentes e irreverentes, engraçados e atarefados, brincalhões e trapalhões, optimistas e saudosistas, pensativos e cognitivos, ingénuos e ténuos, divertidos e vividos, sabichões e amigalhões, honestos e lestos, vaidosos e afectuosos, empenhados e assanhados, extravagantes e acutilantes, compreensivos e objectivos, sociáveis e admiráveis, distraídos e agradecidos, orgulhosos e atenciosos, pacatos e sensatos. Mas... o que gostamos mesmo... é do Movimento Novos Rurais!

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

A Provença portuguesa está em Castelo de Vide, Alentejo

A Provença portuguesa está em Castelo de Vide, Alentejo (com VÍDEO)

Pode dizer-se que a Provença portuguesa encontra-se a quatro quilómetros de Castelo de Vide, no Alto Alentejo, em plena serra da São Mamede. Há dois anos que uma exploração familiar produz várias espécies de lavanda – ou alfazema, consoante a interpretação.
Esta será a única plantação de alfazema – ou lavanda, como refere Teresa Tomé, responsável pela Quinta das Lavandas –, em Portugal, e confere uma cor roxa à paisagem alentejana, tornando-a quase francesa.
“Há aqui duas espécies cultiváveis, uma planta mais pequena – Lavandula angustifólia – a que os franceses chamam a verdadeira, e outra, mais robusta, lavandin grosso”, explica Teresa Tomé.
A quinta biológica tem seis hectares e 65 mil flores de cheiro, tendo nascido de um investimento familiar de um casal que veio da cidade.
“Já fizemos de tudo nesta plantação, não há nada que não saibamos fazer”, explicou ao Economia Verde a outra metade do casal, Estevão Moura. “Mas é preciso perceber como se comporta aqui a planta. E isso temos de ser nós a descobrir, porque não há serviços públicos ou engenheiros agrónomos a perceber [disto]”, explica.
A plantação dá trabalho a três pessoas e, indirectamente, a artesãos locais. A Quinta das Lavandas custou €100 mil e foi financiada pelo PRODER.
Movimento Novos Rurais 
Pessoas mais livres, plenas e felizes 
https://www.facebook.com/novosrurais.farmingculture

3 comentários:

  1. Caros Novos Rurais,

    O meu nome é Marta Freitas Lopes e sou jornalista na TVI. "Tropecei" no vosso blog e resolvi pedir-vos ajuda, caso ma possam dar. Estou à procura de pessoas que não tenham televisão por opção e lembrei-me que entre vós poderiam haver alguns casos. Obviamente este é um tiro no escuro, mas se houver alguém com este perfil disponível para fazer uma pequena reportagem comigo, por favor contactem-me para o 91 833 31 35 ou mfclopes@tvi.pt

    Obrigada,
    Marta FL

    ResponderEliminar
  2. Para além de ser uma alegria para os olhos, vêr o que de bom e bonito esta juventude faz, temos a plena certeza de que com estas iniciativas os nossos campos não morrem, Depois da propagandeada " geração rasca ", " geração à rasca ", etc., etc., eis que surgem os vencedores da politica de desertificação perpetrada pelos srs. cavacos e companhia. Agora sim: ABENÇOADA PÁTRIA QUE TAIS FILHOS TEM!

    ResponderEliminar