Somos amistosos e curiosos, inteligentes e irreverentes, engraçados e atarefados, brincalhões e trapalhões, optimistas e saudosistas, pensativos e cognitivos, ingénuos e ténuos, divertidos e vividos, sabichões e amigalhões, honestos e lestos, vaidosos e afectuosos, empenhados e assanhados, extravagantes e acutilantes, compreensivos e objectivos, sociáveis e admiráveis, distraídos e agradecidos, orgulhosos e atenciosos, pacatos e sensatos. Mas... o que gostamos mesmo... é do Movimento Novos Rurais!

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Ervas aromáticas em vez de sal


A sua utilização na cozinha tem diversos efeitos benéficos para a saúde, diz a DGS
Uma das formas de reduzir o consumo de sal recomendada pela Direcção-Geral da Saúde (DGS) é a sua substituição por ervas aromáticas. A utilização destas na cozinha, diz a DGS, pode "influenciar dupla e positivamente a saúde, quer pela redução da quantidade de sal nos alimentos quer pelas propriedades benéficas que apresentam para a saúde". É aconselhável usá-las em cru, adicionando-as aos alimentos no final da preparação destes.

As ervas aromáticas - e estamos a falar de alho, aipo, alecrim, cebola, cebolinho, coentros, endro, erva-cidreira, estragão, gengibre, funcho, hortelã, louro, orégãos, manjericão, poejo, salsa, sálvia, segurelha, tomilho - têm proteínas, vitaminas e substâncias fitoquímicas que actuam como antioxidantes, bactericidas, antivírus, fitoesteróis e indutores ou inibidores de enzimas. Estas substâncias serão as responsáveis por várias das propriedades atribuídas às ervas aromáticas: efeitos positivos na prevenção do cancro, no funcionamento dos sistemas cardiovascular, reprodutivo e nervoso. As ervas aromáticas são "excelentes fontes de antioxidantes naturais".

Junte-se a nós!
231.000 amantes da natureza
http://www.facebook.com/novosrurais.farmingculture

Sem comentários:

Enviar um comentário