«Aldeia do Futuro» procura jovens agricultores


A primeira «Aldeia do Futuro» nasceu em Baião, no Porto. É um espaço dedicado a quem pretende empreender no setor da agricultura. O projeto oferece formação aos jovens, apoio na procura ativa de terrenos e na criação do negócio.
Nasceu no norte do país, em Baião, a primeira «Aldeia do Futuro». O projeto pretende «valorizar o que Portugal tem de melhor» e impedir a fuga de talentos através da agricultura. Na prática, a ideia está em recuperar aldeias nacionais para que sirvam de incubadoras de projetos ligados à terra.
«É dirigido a jovens que querem abraçar novos desafios, um projeto de futuro e com futuro e que não querem ser 'obrigados' a deixar o seu país ou a abraçar profissões que não os realizem», explica António de Souza-Cardoso, presidente da AGAVI - Associação para a promoção da gastronomia e vinhos, promotora do projeto, ao Canal Superior.
Para consolidar esta «nova vaga de agricultores», o projeto «Aldeia do Futuro» vai disponibilizar formação aos jovens agricultores e oferecer apoio tanto na procura ativa de terrenos como na «criação de negócio, logística, distribuição, embalagem, marketing e comunicação».
A iniciativa arrancou, na semana passada, em versão piloto, no município de Baião, no Porto. «Quisemos iniciar na região Norte dado o estímulo grande que recebemos da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, da Universidade do Porto e do Instituto Politécnico, para além das grandes associações empresariais com sede no Norte», afirma António de Souza-Cardoso.
Nesta primeira fase, o projeto tem 500 mil euros para recuperar a primeira aldeia que vai albergar novos empreendedores, bem como casos de sucesso que possam «ajudar e inspirar os novos agricultores». Estão ainda a ser preparadas candidaturas a fundos comunitários para a criação de um centro de investigação, formação e germinação de novos negócios e de um centro de design, valorização e distribuição de produtos.
Entre os parceiros da iniciativa estão a Universidade Católica Portuguesa, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, a ANJE, a AEP, a Câmara Municipal de Baião, o Turismo do Porto e Norte, entre outros.

Comentários

  1. Olá! Onde posso encontrar mais informações sobre essa iniciativa?!
    Sou estudante de Agroecologia e gostaria muito de participar!
    Muito obrigada!

    ResponderEliminar
  2. Olá! Onde posso encontrar mais informações sobre essa iniciativa?!
    Sou estudante de Agroecologia e gostaria muito de participar!
    Muito obrigada!

    ResponderEliminar
  3. Eu também gostaria de saber mais!!😉

    ResponderEliminar
  4. O escritório da «Aldeia do Futuro» está na Rua de Camões 399, 1.º Centro, 4640-147, na freguesia de Campelo e Ovil, em Baião.

    ResponderEliminar
  5. Muitos Parabéns pela iniciativa. Mais aldeias deviam seguir este exemplo, diminui o desemprego, a desertificação do interior e aumenta a qualidade de vida e produtividade do país. Em forma de contributo deixo aqui a proposta que escrevi para o Blog Ideias de Negócio http://ideiasnegocio.blogs.sapo.pt/uma-pessoa-uma-arvore-3240

    ResponderEliminar

Enviar um comentário