Dieta mediterrânica pode prevenir perda de memória


A dieta mediterrânica é capaz de prevenir a perda de memória e o declínio das capacidades cognitivas, protegendo a integridade do cérebro, conclui um grupo de cientistas canadianos.
Os investigadores da Universidade de McMaster, no Canadá, estudaram 27.860 voluntários de 40 países durante cerca de cinco anos, todos eles com 55 anos ou mais e com historial de diabetes, doença cardiovascular, acidente vascular cerebral, entre outros problemas de saúde, informa o Daily Mail. 
A equipa avaliou a capacidade de raciocínio e a memória dos voluntários no início do estudo, dois anos após o arranque e uma última vez, cinco anos depois. Além disso, os participantes forneceram dados acerca da dieta que seguiam, do tipo de alimentos que ingeriam (incluindo fruta, vegetais, cereais integrais, carne, peixe e ovos) e de hábitos como o consumo de álcool.
No decurso do estudo, um total de 4.699 pessoas desenvolveram problemas de memória, tendo os investigadores observado que aqueles que seguiam dietas mais saudáveis, como a dieta mediterrânica, tinham uma probabilidade 24% inferior de vir a sofrer de declínio cognitivo.
Estes resultados mantiveram-se mesmo quando foram tidos em conta outros factores como a quantidade de actividade física praticada, a hipertensão arterial ou um historial de cancro.
“A adopção de uma dieta saudável começa, possivelmente, logo no início da vida, e uma dieta saudável coincide, muitas vezes, com a adopção de comportamentos e hábitos saudáveis”, explica Andrew Smyth, investigador da Universidade de McMaster e principal autor do estudo.
A dieta mediterrânica é, segundo a equipa, um exemplo ideal de uma dieta boa para a saúde, constituindo-se como um regime alimentar rico em vegetais e fruta, frutos secos, sementes, azeite e peixe, podendo o consumo moderado de vinho ser, também, um benefício. 

Comentários